Cassinos e Bingos

Espaço para debates sobre assuntos que não sejam relacionados a Chespirito, como cinema, política, atualidades, música, cotidiano, games, tecnologias, etc.

Você é contra ou a favor da legalização dos jogos de azar?

Contra
4
22%
A favor
14
78%
 
Total de votos: 18

João Neto (Eng. Camin)
Membro
Membro
Mensagens: 1678
Registrado em: 27 Mar 2012, 21:48
Programa CH: Chapolin
Time de Futebol: Esporte Clube Bahia
Curtiu: 39 vezes
Curtiram: 54 vezes

Cassinos e Bingos

Mensagem por João Neto (Eng. Camin) » 18 Jul 2021, 23:32

Essas casas de apostas virtuais de jogos de futebol já estão ganhando fortunas e patrocinando grande parte dos clubes e programas de TV...

Imagine o quanto esses megacassinos vão ganhar lavando dinheiro de igreja, tráfico de drogas, partido político, cafetões.... kkkkkkkkk.

Engraçado o fetiche evangélico em criar no Brasil uma Las Vegas, que é conhecida nos EUA como "Sin City" = Cidade do Pecado.

Avatar do usuário
E.R
Membro
Membro
Mensagens: 95987
Registrado em: 01 Fev 2009, 19:39
Programa CH: Chaves
Time de Futebol: Flamengo
Localização: Rio de Janeiro
Curtiu: 4232 vezes
Curtiram: 1630 vezes

Cassinos e Bingos

Mensagem por E.R » 19 Jul 2021, 01:06

Tem cassinos em vários países importantes do mundo, como Estados Unidos, China, Alemanha, França, Holanda, Argentina, México.

Nos Estados Unidos, antes da pandemia, os cassinos geravam mais de 2 milhões de empregos.

Com relação à lavagem de dinheiro, já usam diversos métodos pra cometer esse crime aqui no Brasil com ou sem cassino, através de criptomoedas, com empresas de fachada, compras de obras de arte, etc.

A diferença é que com os cassinos, principalmente na região Nordeste do Brasil, iam gerar muitos empregos no nosso país.
Imagem
Imagem

Avatar do usuário
E.R
Membro
Membro
Mensagens: 95987
Registrado em: 01 Fev 2009, 19:39
Programa CH: Chaves
Time de Futebol: Flamengo
Localização: Rio de Janeiro
Curtiu: 4232 vezes
Curtiram: 1630 vezes

Cassinos e Bingos

Mensagem por E.R » 28 Jul 2021, 09:27

NOTÍCIAS
https://www.gamesbras.com/cassinos/2021 ... 24438.html

O renomado grupo português Estoril Sol, do Casino Estoril e ESC Online Casino, manifestou interesse no tão esperado novo mercado em terras latino-americanas.

Cidades metropolitanas como São Paulo, Espírito Santo e Rio de Janeiro são possíveis alvos de investimento para a abertura de um resort com cassino.

A possível legalização dos jogos e apostas no Brasil fez com que a operadora demonstrasse interesse no setor brasileiro. O presidente do grupo Estoril, Mário Assis Ferreira, deu declarações indicando que faz parte dos planos da empresa abrir cassinos terrestres no Brasil.

Ainda em 2016, o Presidente da Mesa da Assembleia Geral da Associação Portuguesa de Cassinos, membro do Conselho de Curadores da Fundação luso-brasileira e ainda Presidente do Conselho Fiscal da Casa da América Latina, Mário Assis Ferreira redigiu uma nota explicativa sobre a importância de uma legislação de jogos para cassinos e demais operadores de jogos a implementar no Brasil.

O documento traz dados importantes dos números em Portugal, depois de regulamentar as apostas no país, em 2015. Só este ano, de acordo com o Serviço de Regulação Inspeção de Jogos (SRIJ), Portugal registrou uma receita bruta de 128,3 milhões de euros gerada pela atividade de jogos e apostas online no país, somente no primeiro trimestre de 2021.

O Brasil ainda não possui uma legislação específica sobre as apostas online. Já os cassinos terrestres são proibidos em território desde 1946, quando a última partida de roleta foi realizada no cassino do Hotel Copacabana Palace, no dia 30 de abril daquele ano.

Poucas décadas depois, por volta de 1996, os cassinos online começaram a surgir no mundo e a novidade chegou ao Brasil. Com a ausência de uma lei específica sobre a prática de jogos de forma online em território nacional, o negócio fez sucesso por lá.

Desde então, há algumas propostas sobre a legitimação da atividade de apostas no país, mas ainda continua em observação no Congresso Nacional Brasileiro.

Especialistas acreditam que o Brasil e outros países seguem, no momento, o mesmo caminho que a Europa percorreu.

Com a regulamentação, aguarda-se a formalização de mais de 160 mil empregos com a atividade e o aumento de turistas para cerca de 12 milhões anuais.

O regulamento deve ainda intensificar o catálogo de sites de apostas e cassinos online que já operam no Brasil com licenças emitidas por outros países.

O toque final deve ocorrer com o surgimento de empresas nacionais da área, como é o caso de muitos países com operadores locais dentro de Portugal.
Imagem
Imagem

Avatar do usuário
E.R
Membro
Membro
Mensagens: 95987
Registrado em: 01 Fev 2009, 19:39
Programa CH: Chaves
Time de Futebol: Flamengo
Localização: Rio de Janeiro
Curtiu: 4232 vezes
Curtiram: 1630 vezes

Cassinos e Bingos

Mensagem por E.R » 04 Ago 2021, 16:12

NOTÍCIAS
https://www.gamesbras.com/cassinos/2021 ... 24558.html

O governo do estado americano de Nevada instaurou um decreto de emergência retornando a obrigatoriedade do uso de máscaras em lugares fechados.

Alguns grupos de hotéis-cassino de Las Vegas publicaram notas sobre o assunto. O MGM Resorts, maior conglomerado da região, concordou com a medida. “Nada é mais importante que a saúde e segurança de visitantes, empregados e toda a comunidade. Nós continuaremos atualizando nossas políticas baseadas nas últimas informações e recomendações de especialistas em saúde e órgãos oficiais”, declarou o grupo.

O Wynn Las Vegas também se posicionou. “Seguiremos as diretrizes do Governo do Estado e do Centro de Controle. Requereremos o uso de máscaras a todos os visitantes e funcionários nas partes fechadas, comunicando a medida com placas e distribuição de máscaras nas entradas do resort”, disse a casa, em nota.
Imagem
Imagem

Avatar do usuário
E.R
Membro
Membro
Mensagens: 95987
Registrado em: 01 Fev 2009, 19:39
Programa CH: Chaves
Time de Futebol: Flamengo
Localização: Rio de Janeiro
Curtiu: 4232 vezes
Curtiram: 1630 vezes

Cassinos e Bingos

Mensagem por E.R » 09 Ago 2021, 22:14

NOTÍCIAS
https://www.gamesbras.com/cassinos/2021 ... 24750.html

A prefeita Lori E. Lightfoot confirmou que a cidade de Chicago estendeu o prazo para responder à Solicitação de Proposta do cassino para sexta-feira, 29 de outubro de 2021.

Isso dá aos potenciais licitantes mais tempo para avaliar completamente a oportunidade; conduzir diligência justa adicional; montar pacotes de licitação mais competitivos; e explorar oportunidades de financiamento.

O projeto de Chicago é uma das oportunidades de desenvolvimento de resort-cassino mais atraentes dos Estados Unidos.

“Este projeto de cassino histórico expande a vitalidade econômica e a força de nossa cidade, trazendo empregos sustentáveis ​​e bem remunerados para residentes de origens sub-representadas e criando um resort-cassino de classe mundial que atrai visitantes de todo o mundo”, disse a prefeita.

O projeto do cassino de Chicago é atualmente uma das oportunidades de desenvolvimento de resort-cassino mais atraentes do país.

Uma cidade global com 9,5 milhões de habitantes, Chicago recebeu 60 milhões de visitantes domésticos e 1,5 milhão de visitantes internacionais em 2019.

A potencial operadora de jogos terá a oportunidade de incorporar sua propriedade ao vibrante cenário cultural da cidade, infraestrutura robusta de transporte público e altamente diversificada economia.
Imagem
Imagem

Avatar do usuário
E.R
Membro
Membro
Mensagens: 95987
Registrado em: 01 Fev 2009, 19:39
Programa CH: Chaves
Time de Futebol: Flamengo
Localização: Rio de Janeiro
Curtiu: 4232 vezes
Curtiram: 1630 vezes

Cassinos e Bingos

Mensagem por E.R » 20 Ago 2021, 14:37

NOTÍCIAS
https://www.gamesbras.com/legislao/2021 ... 24973.html

O senador Angelo Coronel (PSD) apresentou questão de ordem junto à Presidência do Senado para promover a inversão de apreciação de projetos de lei na Casa que tratam da regulamentação do jogo no Brasil.

Ele pretende que o seu relatório sobre o PL 2648/19 seja apreciado antes do PL 4495/20, do Senador Irajá, para o qual o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM) indicou como relator de Plenário o Senador Vital do Rego.

Angelo Coronel afirmou ter falado com Rodrigo Pacheco para que ele coloque em votação o PL apresentado pelo Senador Roberto Rocha (PDSB). “O PL 2648/19, do qual sou relator, prevê a liberação de todas as modalidades de jogos e não apenas cassinos em resorts integrados, como aquele proposto pelo Senador Irajá. O que relatei é muito mais interessante para a entrada de recursos nos cofres da União, tanto pela receita em si quanto pela rapidez com que os recursos chegarão”, diz.

O senador Angelo Coronel afirmou “Vamos lutar pela aprovação de todas as modalidades”.

Angelo Coronel informou que já conversou com o senador Irajá no sentido de buscar a unificação dos dois projetos citados. “Ele se mostrou disposto a que façamos a unificação, deixando para o Plenário decidir se o Brasil terá a legalização dos jogos como um todo ou somente parte. Defenderei que sejam contemplados todos os segmentos, pois irá gerar mais receita para a União”.

Sua preocupação, além do aspecto relativo ao total das receitas a serem geradas, é quanto à demora na implantação de cassinos integrados em resorts. “Um cassino, desde a aprovação até a construção, implantação e ações de marketing para atrair turista, vai demorar muito tempo para começar a gerar receita e ela será pequena. Com as outras modalidades, que já estão rodando, será muito mais efetivo e o dinheiro entrará para os cofres públicos de imediato”, concluiu.
Imagem
Imagem

Avatar do usuário
E.R
Membro
Membro
Mensagens: 95987
Registrado em: 01 Fev 2009, 19:39
Programa CH: Chaves
Time de Futebol: Flamengo
Localização: Rio de Janeiro
Curtiu: 4232 vezes
Curtiram: 1630 vezes

Cassinos e Bingos

Mensagem por E.R » 13 Set 2021, 16:18

NOTÍCIAS
https://valor.globo.com/politica/notici ... -ano.ghtml

Após anos parada no Congresso, a legalização dos jogos de azar voltará a ser discutida por meio de um grupo de trabalho criado pelo presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP).

A intenção dos integrantes do colegiado, todos pró-legalização, é votar até o fim do ano a proposta no plenário para regulamentar dos cassinos ao jogo do bicho.

O deputado Bacelar (Podemos), que também preside a Comissão de Turismo da Câmara, a intenção é votar no plenário até o fim do ano “O Brasil precisa de renda e emprego para ontem, com urgência. O setor de turismo tem cobrado isso direto”, afirmou.
Imagem
Imagem

Avatar do usuário
E.R
Membro
Membro
Mensagens: 95987
Registrado em: 01 Fev 2009, 19:39
Programa CH: Chaves
Time de Futebol: Flamengo
Localização: Rio de Janeiro
Curtiu: 4232 vezes
Curtiram: 1630 vezes

Cassinos e Bingos

Mensagem por E.R » 02 Out 2021, 05:32

NOTÍCIAS
https://economia.ig.com.br/2021-10-01/v ... rasil.html

Deputados e representantes do setor de turismo defenderam em seminário a aprovação do Marco Regulatório dos Jogos no Brasil (PL 442/91), projeto que tramita há 30 anos na Câmara dos Deputados.

Para os defensores da volta dos cassinos, proibidos em 1946, a atividade também seria uma maneira de alavancar o segmento no pós-pandemia.

O debate, solicitado pelo presidente da Comissão de Turismo, deputado Bacelar (Podemos), abordou os problemas enfrentados pelo setor.

O presidente do Instituto Brasileiro Jogo Legal, Magno José, disse que cerca de 30 milhões de brasileiros fazem apostas diárias em jogos ilegais, como o jogo do bicho, ou jogos não regularizados, como as apostas esportivas na internet.

O Brasil deixa de arrecadar mais de R$ 22 bilhões em impostos por ano ao não regularizar os jogos.

O deputado Delegado Pablo (PSL) afirmou que os problemas associados aos jogos, como corrupção e lavagem de dinheiro, não são uma exclusividade dessa atividade. “Alguém não percebeu que o jogo está na nossa realidade todos os dias ? Enquanto a gente não regulamentar, vai ser punido com a perda da arrecadação de impostos, que já está na casa dos bilhões no Brasil. Vai ser punido com a falta de geração de renda”, declarou.
Imagem
Imagem

Avatar do usuário
E.R
Membro
Membro
Mensagens: 95987
Registrado em: 01 Fev 2009, 19:39
Programa CH: Chaves
Time de Futebol: Flamengo
Localização: Rio de Janeiro
Curtiu: 4232 vezes
Curtiram: 1630 vezes

Cassinos e Bingos

Mensagem por E.R » 10 Out 2021, 23:51

NOTÍCIAS
https://veja.abril.com.br/blog/radar/pg ... s-de-azar/

Relator da comissão do marco dos jogos de azar na Câmara, Felipe Carreras (PSB) foi — acompanhado dos colegas de colegiado — a Augusto Aras nesta semana falar sobre as ideias do grupo para o texto.

Ouviu do chefe da PGR que o tema é “assunto dos homens do povo no Congresso”. Em outras palavras, a PGR não lutará contra o retorno das apostas.
Imagem
Imagem

Avatar do usuário
E.R
Membro
Membro
Mensagens: 95987
Registrado em: 01 Fev 2009, 19:39
Programa CH: Chaves
Time de Futebol: Flamengo
Localização: Rio de Janeiro
Curtiu: 4232 vezes
Curtiram: 1630 vezes

Cassinos e Bingos

Mensagem por E.R » 18 Out 2021, 09:14

NOTÍCIAS
https://blogs.oglobo.globo.com/opiniao/ ... nsata.html

No mês passado, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP), criou um grupo de trabalho para analisar o PL 442/91, que estabelece o Marco Regulatório dos Jogos no Brasil.

O objetivo é atualizar a proposta, aprovada numa comissão especial há cinco anos, sem ter ido a plenário até hoje.

A demora não é casual, mas fruto de pressões de bancadas religiosas. A simples formação do grupo de trabalho desperta reações apaixonadas sobre um assunto que precisa ser encarado com racionalidade, especialmente tratando-se de um Estado laico.

Os jogos de azar foram proibidos no Brasil em 30 de abril de 1946, no governo de Eurico Gaspar Dutra. As justificativas dadas à época sugerem que a decisão foi tomada mais por razões religiosas, ideológicas e de costumes que por motivos racionais.

Em sete décadas e meia, jogos nunca saíram de cena, apenas se esconderam atrás das cortinas. Alguém realmente acredita que não há jogatina no Brasil ? Basta uma caminhada pelas ruas do Rio para deparar com apostadores do jogo do bicho — alguns nem fazem cerimônia em instalar seus pontos nas imediações de delegacias.

As roletas clandestinas giram como nunca. Máquinas caça-níqueis fazem a fortuna de foras da lei. E o avanço digital permite que apostas sejam feitas de qualquer lugar, inclusive do Brasil, longe do alcance do Estado — e sem pagar impostos.

Em artigo no GLOBO, os deputados João Bacelar (Podemos) e Felipe Carreras (PSB), que integram o grupo de trabalho da Câmara, afirmam que o jogo ilegal no Brasil movimenta mais de R$ 27 bilhões por ano, superando em quase 60% os oficiais, que geram R$ 17,1 bilhões. “O debate é essencial para amadurecer e criar uma legislação que permita aos cidadãos exercer seu desejo de jogar, mas sob os olhos atentos do Estado, com regras claramente definidas e efetivamente aplicadas”, dizem os parlamentares.

De acordo com dados apresentados nas audiências na Câmara, a legalização dos jogos poderia gerar cerca de 200 mil novos empregos e formalizar outros 450 mil, números nada desprezíveis numa economia fragilizada.

Estima-se que seriam arrecadados cerca de R$ 22 bilhões por ano em tributos e R$ 7 bilhões com outorgas de cassinos. Sem falar que a regulamentação teria grande impacto no turismo.

Nos Estados Unidos, onde há mais de mil cassinos espalhados por 40 estados, a indústria gera 1,7 milhão de empregos e concentra um negócio colossal de US$ 240 bilhões.

Além dos Estados Unidos, países como China, Índia, Alemanha, Japão, França, Itália, Reino Unido, Canadá e Austrália legalizaram os jogos e os mantêm sob supervisão do Estado.

É fato que, no Brasil, apesar de proibido, o jogo corre solto. Sites hospedados fora do país oferecem apostas a qualquer um, inclusive a brasileiros. Portanto o mais certo é regular o setor, para que haja controle rigoroso.

Existem modelos bem-sucedidos, como cassinos localizados em locais selecionados, acoplados a resorts, para incentivar o turismo, como em Cingapura.

Parte dos impostos arrecadados com a atividade poderia ser destinada ao combate ao vício e ao jogo ilegal — hoje não falta tecnologia para supervisioná-lo — e a campanhas de conscientização.

Seria mais sensato legalizar o jogo eletrônico e projetos de cunho turístico do que continuar apostando na hipocrisia, fingindo que a jogatina não existe.
Imagem
Imagem

Avatar do usuário
E.R
Membro
Membro
Mensagens: 95987
Registrado em: 01 Fev 2009, 19:39
Programa CH: Chaves
Time de Futebol: Flamengo
Localização: Rio de Janeiro
Curtiu: 4232 vezes
Curtiram: 1630 vezes

Cassinos e Bingos

Mensagem por E.R » 30 Out 2021, 08:12

NOTÍCIAS
https://igamingbrazil.com/cassino/2021/ ... nova-york/

O Hard Rock quer construir um cassino na cidade de Nova York ou próximo a ela, embora também esteja planejando erguer outro ao norte de Nova Jersey, a cerca de 13 quilômetros de distância.

Jim Allen, o presidente da empresa global de jogos, entretenimento e hospitalidade, disse que o Hard Rock apresentará uma proposta de interesse às autoridades de Nova York até 10 de dezembro de 2021.

Lembrando que Nova York tem três licenças restantes de cassinos a serem concedidas no estado. Essas autorizações contemplam a cidade de Nova York, considerada um local extremamente estratégico pela indústria de cassinos, dada a população e a riqueza da região.
Imagem
Imagem

Avatar do usuário
E.R
Membro
Membro
Mensagens: 95987
Registrado em: 01 Fev 2009, 19:39
Programa CH: Chaves
Time de Futebol: Flamengo
Localização: Rio de Janeiro
Curtiu: 4232 vezes
Curtiram: 1630 vezes

Cassinos e Bingos

Mensagem por E.R » 21 Nov 2021, 07:49

NOTÍCIAS
Imagem
Imagem

Avatar do usuário
E.R
Membro
Membro
Mensagens: 95987
Registrado em: 01 Fev 2009, 19:39
Programa CH: Chaves
Time de Futebol: Flamengo
Localização: Rio de Janeiro
Curtiu: 4232 vezes
Curtiram: 1630 vezes

Cassinos e Bingos

Mensagem por E.R » 03 Dez 2021, 13:57

NOTÍCIAS
Imagem
Imagem

Avatar do usuário
E.R
Membro
Membro
Mensagens: 95987
Registrado em: 01 Fev 2009, 19:39
Programa CH: Chaves
Time de Futebol: Flamengo
Localização: Rio de Janeiro
Curtiu: 4232 vezes
Curtiram: 1630 vezes

Cassinos e Bingos

Mensagem por E.R » 11 Dez 2021, 06:36

NOTÍCIAS
O ESTADO DE S.PAULO

Alvo da bancada evangélica na Câmara, o projeto que libera os jogos de azar no Brasil passou a sofrer resistência também de integrantes da bancada da bala, que tentam adiar a votação para o ano que vem.

O grupo ligado ao setor de segurança pública defende ajustes no texto, que prevê regulamentar atividades hoje proibidas no Brasil, como cassinos e o jogo do bicho.

O problema para esses parlamentares, no entanto, são os bingos.

“O pessoal tem muita resistência (aos bingos) porque a experiência que tivemos foi desastrosa. Acabou não tendo uma transparência na arrecadação, acabou viciando muita gente da classe baixa”, disse o coordenador da Frente Parlamentar da Segurança Pública, deputado Capitão Augusto (PL-SP).

A pedido dele, que é policial militar reformado de São Paulo, uma audiência pública para discutir o tema vai acontecer no próximo dia 15.

A data é a mesma que o relator do projeto, Felipe Carreras (PSB-PE), previa como limite para que o texto pudesse ser votado em plenário.

Capitão Augusto disse não ser contra a ideia de liberar os jogos de azar, apenas pede alguns ajustes. Ele afirmou, por exemplo, que não vê problema em legalizar cassinos e jogo do bicho. “Os cassinos normalmente são para as classes A e B, é um outro ambiente, um custo muito mais alto. Essa classe A está indo jogar no Paraguai, Uruguai, Argentina, Las Vegas, onde é liberado o jogo.”

Hoje é proibida a exploração comercial dos bingos, sendo permitida apenas a prática recreativa.

Quanto ao jogo do bicho, Capitão Augusto considera apenas mais uma modalidade similar às apostas reguladas hoje pela loteria. “A questão do jogo do bicho seria um jogo a mais para ser incluído na nossa Caixa Econômica Federal, nas loterias do Brasil. Tiraria uma parcela boa das facções criminosas que andam explorando isso aí sem que governo arrecade qualquer imposto.”

O relator do projeto admitiu a possibilidade de retirar a liberação de bingos do texto, mas afirmou que ainda não há decisão tomada sobre o assunto. “O texto já está praticamente pronto, a gente está vendo alguns detalhes pontuais”, disse Felipe Carreras.

Ele argumentou que, caso o seu texto seja aprovado, haverá um aumento na arrecadação porque os jogos passarão a pagar impostos. “A gente pensa em ter uma Cide (Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico) sobre os jogos e um pedaço (da arrecadação) vai ser distribuído para cultura, esporte, Estados, saúde, Fundo Nacional de Segurança Pública e uma parte para financiar a Embratur, que não tem dinheiro para nada para fazer promoção turística no País”, afirmou.

Dentro do Congresso, os principais articuladores da iniciativa são parlamentares do Centrão ligados ao setor de turismo ou de Estados litorâneos, que possuem infraestrutura compatível para abrigar cassinos integrados a resorts.
Imagem
Imagem

Avatar do usuário
E.R
Membro
Membro
Mensagens: 95987
Registrado em: 01 Fev 2009, 19:39
Programa CH: Chaves
Time de Futebol: Flamengo
Localização: Rio de Janeiro
Curtiu: 4232 vezes
Curtiram: 1630 vezes

Cassinos e Bingos

Mensagem por E.R » 16 Dez 2021, 19:58

NOTÍCIAS
https://valor.globo.com/politica/notici ... mara.ghtml

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quinta-feira, por 293 votos a 138, o requerimento de urgência do projeto que legaliza os jogos de azar no país. Onze parlamentares se abstiveram.

Antes da votação, o presidente da Casa, Arthur Lira (PP), se comprometeu a pautar o mérito da proposta apenas no ano que vem.

O novo projeto traz alterações em relação ao original para diminuir as críticas à falta de fiscalização, associação com organizações criminosas e riscos à saúde por causa do vício em jogo.

Uma das mudanças é acabar com a anistia explícita a quem está sendo processado por contravenção penal por manter bingos clandestinos ou operações de jogo do bicho.

O projeto prevê que uma agência reguladora vai fiscalizar as empresas ligadas a área.

Além dos impostos normais incidentes sobre as empresas, como imposto de renda, o projeto cria uma Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) Jogos de 25% sobre os jogos online e 20% para os demais. Essa taxa ficará 50% para o governo federal e 50% para Estados e municípios. Também são criadas taxas de autorização de funcionamento e de fiscalização.
Imagem
Imagem

Responder