Fórum Portal Vídeos Guia de Episódios Sobre



Todos os horários são GMT - 3 horas


Portal Chespirito Chico Rei



Criar novo tópico Responder  [ 2741 mensagens ]  Ir para página Anterior  1 ... 175, 176, 177, 178, 179, 180, 181 ... 183  Próximo
  Exibir página para impressão

Re: Dilma Rousseff
Autor Mensagem
MensagemEnviado: 19 Mar 2017, 21:35 
Offline
Avatar do usuário
Membro

Registrado em: 04 Dez 2011, 22:00
Mensagens: 22499
Curtiu: 1834 vezes
Foi curtido: 1193 vezes
Programa CH: Chaves
Time de Futebol: Palmeiras
Fantasias: Não utilizo
Lendo o discurso da Dilma, alguém pode me explicar o que são "pedras desdenhais"? Nem o Google sabe.


Voltar ao topo
 Perfil  
 

Re: Dilma Rousseff
MensagemEnviado: 20 Mar 2017, 00:49 
Offline
Avatar do usuário
Membro

Registrado em: 13 Nov 2012, 23:45
Mensagens: 4447
Localização: Quinto dos Infernos
Curtiu: 34 vezes
Foi curtido: 315 vezes
Programa CH: Chespirito
Time de Futebol: AHS,S Futebol Clube
Fantasias: Não utilizo
São as "pedras de desdém". Pedras que o pessoal jogou nela com desdém no impeachment.

_________________
Imagem

VENCER NÃO É TUDO, É PRECISO TAMBÉM HUMILHAR O ADVERSÁRIO...


Voltar ao topo
 Perfil  
 

Re: Dilma Rousseff
MensagemEnviado: 20 Mar 2017, 16:25 
Offline
Avatar do usuário
Moderador Global

Registrado em: 12 Abr 2014, 21:25
Mensagens: 11363
Localização: Imperatriz - MA
Curtiu: 489 vezes
Foi curtido: 731 vezes
Programa CH: Chapolin
Time de Futebol: Vasco
Fantasias: Não utilizo
Não sei o que é mais raro

a) Perdidos mundiais semelhantes do Chaves
b) Semelhantes do Chapolin
c) Dilma fazer entrevista sem mencionar a crise de 2008

_________________

com apresentação de daniela beyruti


“Não existe episódio semelhante! Existe preguiça de ver o episódio até o fim!”
- XAVIER, Evilásio


Cleberson Camargo escreveu:
Leandro Boutsen escreveu:
Mule of 6 deve ter tido um orgasmo vendo isso.


O Mesmo que tive quando peguei sua mae.


MINHA TRAJETÓRIA:

12/04/2014 a 13/07/2014 - Toupas Prancas
13/07/2014 a 30/12/2014 - O gordo e o obeso
30/12/2014 em diante - O Gordo

MEMBRO do FÓRUM CHAVES desde 12/ABR/2014
USUÁRIO DO MÊS em DEZ/2014, FEV/2015, MAR/2015, ABR/2015, NOV/2016 e em FEV/2017

MODERADOR desde 09/MAI/2015 (1º mandato - DDNL); 09/NOV/2015 (2º mandato - DDNL);
MODERADOR GLOBAL desde 05/MAI/2016 (3º mandato - Global)


Voltar ao topo
 Perfil  
 

Re: Dilma Rousseff
MensagemEnviado: 24 Mar 2017, 00:31 
Offline
Avatar do usuário
Membro

Registrado em: 01 Fev 2009, 19:39
Mensagens: 60677
Localização: Rio de Janeiro (RJ)
Curtiu: 3156 vezes
Foi curtido: 738 vezes
Programa CH: Chaves
Time de Futebol: Flamengo
Fantasias: Não utilizo
http://g1.globo.com/politica/noticia/ao-tse-marcelo-odebrecht-diz-que-dilma-sabia-de-todas-as-doacoes-por-caixa-2.ghtml

O empresário Marcelo Odebrecht, ex-presidente da empreiteira Odebrecht, afirmou em depoimento ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no início de março que a ex-presidente Dilma Rousseff sabia da dimensão das doações por meio de caixa 2 feitas pela empresa à campanha da petista à reeleição, em 2014.

_________________
Imagem
Imagem


Voltar ao topo
 Perfil  
 

Re: Dilma Rousseff
MensagemEnviado: 24 Mar 2017, 20:05 
Offline
Avatar do usuário
Membro

Registrado em: 04 Dez 2011, 22:00
Mensagens: 22499
Curtiu: 1834 vezes
Foi curtido: 1193 vezes
Programa CH: Chaves
Time de Futebol: Palmeiras
Fantasias: Não utilizo
Delator afirma que comprou tempo de TV para chapa Dilma-Temer
24/03/2017 - 07h50

BRASÍLIA - Em depoimento ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o ex-diretor de Relações Institucionais da Odebrecht Alexandrino Alencar disse que a empreiteira pagou R$ 21 milhões em dinheiro em espécie a três partidos para comprar tempo de TV para a chapa de Dilma Rousseff (PT) e Michel Temer (PMDB) em 2014. Segundo ele, o dinheiro, proveniente de caixa 2, foi entregue em hotéis e flats.

Conforme antecipou o jornal O Estado de S. Paulo no início do mês, Alexandrino Alencar disse ao TSE que a empreiteira pagou R$ 7 milhões para cada um desses três partidos: PROS, PC do B e PRB. Ontem, a reportagem obteve a íntegra do depoimento do ex-executivo, mantido sob sigilo.

Alexandrino depôs ao TSE em 6 de março. "Eram inicialmente cinco partidos que houve essa demanda para a gente contribuir via caixa 2, e eu fiquei encarregado de três partidos. Então, três partidos foram feitos por mim, a saber: o PROS, o PC do B e o PRB", afirmou o ex-executivo ao ministro Herman Benjamin, relator no TSE da ação que apura se a chapa Dilma-Temer cometeu abuso de poder político e econômico para se reeleger em 2014.

Conforme Alexandrino, a demanda surgiu do então tesoureiro da campanha de Dilma, Edinho Silva, que, segundo ele, já chegou com os valores a serem acertados e a indicação de que o pagamento seria via caixa 2.

Questionado por Benjamin se havia ficado claro os termos do pedido, Alexandrino foi categórico. "Sim, para a compra dos partidos. Era claramente uma compra do tempo de TV".

Alexandrino também falou como eram feitos os repasses. "Eu contatava a pessoa da Operações Estruturadas (conhecido como "departamento da propina") e dizia: 'Temos essa demanda'. Às vezes a pessoa ficava num hotel ou tinha lugar fixo em São Paulo, um flat, onde as pessoas dos partidos iam lá buscar."

Defesas

Em resposta ao TSE, o PRB disse não ter recebido caixa 2, propina ou "recurso financeiro de qualquer origem ilícita" para apoiar a chapa Dilma-Temer. O PC do B informou que o apoio à candidatura de Dilma em 2014 se deveu à "identidade de projetos político-ideológicos". Nenhum representante do PROS foi localizado.

A defesa de Dilma emitiu nota ontem na qual diz que a vida pública da petista é "limpa e honrada". Edinho afirmou que é "nítida a tentativa de construção de uma tese que tem como objetivo a criminalização da campanha". "Jamais pedi doações que não fossem legais."
DCI / O ESTADO DE S. PAULO


Voltar ao topo
 Perfil  
 

Re: Dilma Rousseff
MensagemEnviado: 24 Mar 2017, 21:51 
Offline
Avatar do usuário
Membro

Registrado em: 04 Dez 2011, 22:00
Mensagens: 22499
Curtiu: 1834 vezes
Foi curtido: 1193 vezes
Programa CH: Chaves
Time de Futebol: Palmeiras
Fantasias: Não utilizo
Fiquei negritando tudo pra ninguém reclamar que não leu por ser grande :p

Marcelo Odebrecht explica ao TSE 'relação intensa' com governo Dilma
Ex-presidente da construtora e outros ex-executivos da empreiteira prestaram depoimentos ao tribunal na ação que apura se chapa Dilma-Temer cometeu abuso de poder político e econômico.

Por Jornal da Globo
24/03/2017 00h37 Atualizado há 30 minutos

Marcelo Odebrecht, ex-presidente da construtora, e os outros ex-executivos da empresa foram ouvidos em depoimento a pedido do ministro Herman Benjamim, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), relator da ação que pede a cassação da chapa Dilma-Temer. A suspeita é de abuso de poder político e econômico.

O depoimento do empresário Marcelo Odebrecht foi revelado pelo site "Antagonista" nesta quinta (23). A TV Globo também obteve o documento.

A uma pergunta sobre a relação da Odebrecht com a campanha eleitoral que reelegeu Dilma Rousseff, o empresário afirma que, "para ela, a maior parte, talvez quatro-quintos, foi caixa dois".

Marcelo também afirmou ao TSE que "a campanha presidencial de 2014 foi inventada", primeiro, por ele mesmo, Marcelo, que não se envolveu na maior parte das demais campanhas, mas a eleição presidencial ele conhecia, e que, de maneira geral, os valores foram definidos por ele.

Segundo Marcelo Odebrecht, R$ 150 milhões foram colocados à disposição para a campanha de Dilma.

Marcelo explicou que a empresa tinha "relação intensa" com o governo Dilma, que essa relação intensa gerava a expectativa de que a Odebrecht fosse um grande doador. Dos R$ 150 milhões, R$ 50 milhões vieram a partir de um pedido, uma contrapartida específica, a edição da Medida Provisória 470, um "refis" na crise de 2009, que beneficiou a Odebrecht.

Marcelo disse que, em uma reunião com o então ministro da Fazenda, Guido Mantega, ele disse: "Olha, Marcelo, eu tenho a expectativa de que você contribua para a campanha de 2010 com R$ 50 milhões". Mas, segundo Marcelo, Mantega acabou não se envolvendo na campanha de 2010, a primeira de Dilma, e esses R$ 50 milhões ficaram para a campanha de 2014.

Marcelo Odebrecht disse que, na prática, Guido Mantega só começou a pedir dinheiro para o PT a partir de 2011, quando era ministro de Dilma e Antonio Palocci já tinha saído da Casa Civil. Até aquele momento, segundo o depoimento, era Palocci que fazia a maior parte dos pedidos do PT.

Ainda sobre a campanha de 2010, Marcelo Odebrecht disse que todos os pedidos de doação foram feitos por Lula e Palocci e que Dilma nem se envolvia em 2010.

Campanha de 2014

Na campanha seguinte, em 2014, Marcelo Odebrecht disse que doou dinheiro para outros partidos da coligação que apoiou Dilma, a pedido de Guido Mantega, e que uma parte do dinheiro foi de caixa dois.

Ao todo, Marcelo Odebrecht disse que acertou com Guido Mantega R$ 170 milhões e, somado ao que acertou com Antonio Palocci, entre 2008 e 2014, o valor chega a R$ 300 milhões.

Questionado se a conta administrada primeiro por Antonio Palocci e depois por Guido Mantega era para o PT, Marcelo disse que era para a Presidência.

De acordo com as investigações, esse dinheiro fazia parte de uma espécie de conta corrente, criada pela construtora Odebrecht para atender ao PT, mas era também uma maneira de a Odebrecht estabelecer um limite para os pedidos de dinheiro.

Segundo o site "Antagonista", a empresa apresentou uma planilha ao TSE com um controle de saldo da conta-corrente da empresa com Lula, Palocci e Guido Mantega. Em 22/10/2013, o "amigo", como era chamado Lula, tinha saldo a receber de R$ 15 milhões. Em 31/03/2014, o saldo era de R$ 10 milhões.

Marcelo Odebrecht contou também que, numa conversa em 2014, Guido Mantega se referiu à presidente Dilma ao fazer um pedido.
Segundo o empresário, Mantega teria dito: "Marcelo, a orientação dela agora é que todos os recursos de vocês vão para a campanha dela. Você não vai mais doar para o PT, você só vai doar para a campanha dela, basicamente as necessidades da campanha dela: João Santana, Edinho Silva, e esses partidos da coligação."

Marcelo disse que sempre ficou evidente que Dilma sabia dos pagamentos da Odebrecht para João Santana e que ele não tem a menor dúvida.

Marcelo Odebrecht garantiu que Dilma também sabia da dimensão da doação da empresa, sabia que eles doavam, quem fazia grande parte dos pagamentos via caixa dois para João Santana. "Isso ela sabia", segundo Marcelo.

Marcelo Odebrecht disse que, assim que estourou a Lava Jato, ele alertou Dilma. "Olha, presidente, eu quero informar para a senhora o seguinte: eu tenho medo de que, vi a questão da Lava Jato, exista uma contaminação nas contas do exterior que foram usadas para pagamento para João Santana, então quero alertar a senhora disso."

Caixa 2

Marcelo também falou o que acha sobre caixa dois, e o comparou a outros crimes. O empresário disse que reconhece que:

"Quando você vai para o caixa 2, mesmo que o caixa 2 não tenha origem numa propina, ele carrega uma ilicitude, ele desiguala o processo eleitoral e, ademais, é aquele processo de contrabando. Quer dizer, na hora que a gente está aceitando filme contrabandeado, nós estamos dando dinheiro para um setor. Então, na hora que é caixa 2, a partir daí eu não posso mais assegurar se aquele dinheiro foi de fato para a campanha".

Em seu depoimento, Marcelo Odebrecht disse ainda que, em 2014, Guido pediu mais dinheiro via caixa um, oficial, para a campanha da Dilma, mas Marcelo respondeu que não tinha como doar mais do que já havia doado, por causa do limite imposto pela legislação eleitoral. Mantega, de acordo com Marcelo, então, "veio com uma equação de bancar o apoio a outros partidos da coligação, compromissos que o PT tinha com outras legendas".

Doações para outros partidos

A divisão deste dinheiro foi explicada por outro depoente: Alexandrino de Alencar, ex-diretor da Odebrecht, em depoimento ao TSE na mesma ação e obtido pela TV Globo.

Ele afirmou que essa divisão foi definida pelo tesoureiro da campanha, Edinho Silva: que queria que fossem R$ 7 milhões para cada partido.

Alexandrino disse que ouviu de Edinho que esse dinheiro era para comprar tempo de TV, ou seja, comprar o apoio de partidos da base aliada. E Alexandrino ficou com a missão de fazer o pagamento a três partidos: PCdoB, PROS e PRB. O PDT e o PP receberam por meio de outros operadores. Segundo Marcelo Odebrecht, o total pago aos cinco partidos chegou a R$ 27 milhões.

Tarjas

Trechos de alguns depoimentos têm tarjas pretas cobrindo as citações ao senador Aécio Neves (PSDB-MG). O TSE aceitou o pedido feito pelo advogado do PSDB, alegando que a candidatura de Aécio em 2014 não era objeto da ação.

Mesmo assim, em alguns pontos, é possível ler o que diz o documento. Em deles, Benedicto Junior, ex-executivo da Odebrecht que fazia a ponte entre políticos e a empresa, detalha o pagamento de R$ 9 milhões para três candidatos do PSDB, a pedido do presidente do partido, Aécio Neves: o senador Antonio Anastasia, Dimas Fabiano Toledo, candidato a deputado federal pelo PP, e Pimenta da Veiga, que concorreu ao governo de Minas Gerais em 2014.

Segundo Benedicto, o pagamento – em caixa dois – também incluiu a empresa publicitária PVR Propaganda e Marketing, que trabalhou na campanha de Aécio Neves para a Presidência da República.

Versões
Todos os citados negaram envolvimento com irregularidades.

A ex-presidente Dilma Rousseff disse que nunca teve proximidade com o empresário Marcelo Odebrecht e que jamais pediu a ele doações para a campanha dela ou para o Partido dos Trabalhadores.

O advogado dos ex-ministros Guido Mantega e Antônio Palocci disse que não conhece o depoimento na íntegra.

O PT não quis comentar.

O tesoureiro da campanha de 2014, Edinho Silva, disse que todas as doações da Odebrecht foram feitas de forma ética, dentro da legalidade e que as contas foram aprovadas por unanimidade pelo Tribunal Superior Eleitoral.

A assessoria do Instituto Lula disse que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva jamais solicitou recursos indevidos para a Odebrecht ou qualquer outra empresa e que isso será provado pela Justiça.

A defesa do marqueteiro João Santana não quis comentar.

Aécio Neves tem dito que solicitou, como dirigente partidário, apoio para candidatos de Minas Gerais e de todo o Brasil a diversos empresários, sempre de acordo com a lei.

Dimas Toledo informou que não conhece o delator e negou ter recebido doações da Odebrecht.

Pimenta da Veiga não quis comentar.

A assessoria de Antonio Anastasia disse que o parlamentar nunca tratou na trajetória pessoal ou política com qualquer pessoa ou empresa sobre qualquer assunto ilítico.
G1 POLÍTICA / JORNAL DA GLOBO


Voltar ao topo
 Perfil  
 

Re: Dilma Rousseff
MensagemEnviado: 28 Mar 2017, 19:52 
Offline
Avatar do usuário
Membro

Registrado em: 04 Dez 2011, 22:00
Mensagens: 22499
Curtiu: 1834 vezes
Foi curtido: 1193 vezes
Programa CH: Chaves
Time de Futebol: Palmeiras
Fantasias: Não utilizo
Cancelada audiência com relator de processo contra chapa Dilma-Temer no TSE
28/03/2017 - 18h05
Da Redação - PT

A Comissão Especial da Reforma Política cancelou a audiência pública que seria realizada nesta quarta-feira (29) com o ministro Herman Benjamin, relator no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) do processo contra a chapa Dilma-Temer. Não foi definida nova data para a reunião, em que também seria ouvida a ministra do TSE Luciana Lóssio.

A comissão pretendia ouvir esclarecimentos de Herman Benjamin sobre a prestação de contas de campanhas eleitorais. No processo em andamento no TSE, o PSDB denuncia suposto abuso de poder político e econômico da chapa vencedora da eleição presidencial de 2014, encabeçada por Dilma Rousseff e Michel Temer.

Parecer final

O relator da reforma política, deputado Vicente Candido (PT-SP), já anunciou que vai apresentar o parecer final sobre o tema no dia 4 abril, juntamente com uma proposta de emenda à Constituição e projetos de lei para implementar mudanças legislativas.
AGÊNCIA CÂMARA NOTÍCIAS


Voltar ao topo
 Perfil  
 

Re: Dilma Rousseff
MensagemEnviado: 12 Abr 2017, 20:57 
Offline
Avatar do usuário
Membro

Registrado em: 01 Fev 2009, 19:39
Mensagens: 60677
Localização: Rio de Janeiro (RJ)
Curtiu: 3156 vezes
Foi curtido: 738 vezes
Programa CH: Chaves
Time de Futebol: Flamengo
Fantasias: Não utilizo
http://oglobo.globo.com/brasil/marcelo-odebrecht-indica-que-dilma-graca-foster-sabiam-do-pagamento-de-propinas-para-pmdb-pt-21201380

Imagem

O ex-presidente da Odebrecht, o empresário Marcelo Odebrecht, afirma que Graça Foster, ex-presidente da Petrobras, e a ex-presidente Dilma Rousseff sabiam do pagamento de propinas para políticos do PMDB e do PT.

Em seu depoimento ao juiz Sérgio Moro, no processo que investiga a Lava-Jato, ele conta que os repasses ao PMDB foram solicitados na véspera da eleição de 2010 pelos então deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN). Para o PT os repasses teriam sido tratados com João Vaccari, então tesoureiro do partido.

Segundo Marcelo Odebrecht, a propina era referente ao contrato de prestação de serviços PAC SMS, da gerência Internacional da empresa, e foi paga ainda durante a gestão de Sérgio Gabrielli à frente da Petrobras, e gerou a abertura de uma investigação interna dentro da Petrobras.

Graça Foster teria procurado o empresário após assumir a presidência da empresa para saber sobre o pagamento ilícito ao PMDB, mas teria mudado de tom ao saber que o PT também recebeu dinheiro.

"Eu percebi que ela estava mais preocupada em saber quem era que tinha levado (dinheiro) no PMDB. E eu não queria alimentar isso, eles que se entendam. Eu disse a ela: 'Graça eu não sei quem é, eu sei que foi do PMDB. Agora, eu posso dizer o seguinte: o PT sabia e também recebeu uma parte'. Aí foi que a postura dela mudou",contou o empresário.

Segundo Marcelo Odebrecht, ela afirmou que colocaria uma pessoa de confiança para acompanhar o assunto, e que depois a investigação foi enviada ao MP de São Paulo. Depois disso, a relação deles teria ficado ruim, e ele acabou levando o problema a Dilma Rousseff:

"Tive uma reunião com a presidente, não me lembro se foi por esse assunto, mas eu fui claro e contei tudo que eu tinha contado para a Graça. No caso da presidente, ela sempre estava incomodada querendo saber se Michel (Temer) estava envolvido. Mas você percebe que ela queria instigar quem era a pessoa que estava recebendo isso (dinheiro) ”, detalhou Odebrecht.

O empresário afirma ainda que chegou a passar um recado ao então vice-presidente Michel Temer dizendo que Dilma estaria desconfiada de que ele teria recebido propina durante a negociação desse contrato. Mais tarde, Michel Temer teria inclusive perguntado ao empresário sobre o episódio.

"Ele falou assim: 'Marcelo, que história é essa que a presidente me perguntou sobre se eu recebi alguma coisa em um contrato da Petrobras?', e eu disse: 'eu não tenho nada com isso, e se você não tem nada com isso vamos nos fingir de morto'", relatou.

_________________
Imagem
Imagem


Voltar ao topo
 Perfil  
 

Re: Dilma Rousseff
MensagemEnviado: 12 Abr 2017, 21:26 
Offline
Avatar do usuário
Membro

Registrado em: 01 Fev 2009, 19:39
Mensagens: 60677
Localização: Rio de Janeiro (RJ)
Curtiu: 3156 vezes
Foi curtido: 738 vezes
Programa CH: Chaves
Time de Futebol: Flamengo
Fantasias: Não utilizo
http://www.oantagonista.com/posts/marcelo-dilma-interferiu-na-cef-a-pedido-de-lula-para-itaquerao

Imagem

Em sua delação, Marcelo Odebrecht revelou como Lula pediu a Emílio Odebrecht que "viabilizasse a construção de um estádio próprio para o Corinthians, seu time do coração".

Marcelo Odebrecht conta que o processo de estruturação do financiamento para a obra ocorreu de maneira "muito informal, com compromissos sendo assumidos pelos governados Federal, Estadual e Municipal".

Marcelo Odebrecht diz que o tema foi inicialmente discutido num jantar com a participação de Luciano Coutinho (BNDES), Geraldo Alckmin, Gilberto Kassab e até de Ronaldo, o Fenômeno.

Depois, passou a tratar com Dilma Rouseff sobre o apoio financeiro para o estádio. "Em razão da interferência da ex-presidente Dilma junto à Caixa Econômica Federal, no início do 2º trimestre de 2013 retomamos as negociações com a Caixa Econômica Federal. Por fim, a Odebrecht e o SCCP (Corinthians) aceitaram algumas exigências adicionais que mitigavam o 'risco clube'. Quando as obras já estavam 98% concluídas, a Caixa Econômica Federal liberou a primeira parcela do financiamento."

Marcelo Odebrecht revela ainda que posicionava seu pai sobre todas dificuldades e ele, por sua vez, "atualizava constantemente Lula, pedindo que fizesse interferência junto a Dilma e Guido Mantega no sentido de facilitar a solução".

_________________
Imagem
Imagem


Voltar ao topo
 Perfil  
 

Re: Dilma Rousseff
MensagemEnviado: 17 Abr 2017, 13:39 
Offline
Avatar do usuário
Membro

Registrado em: 04 Dez 2011, 22:00
Mensagens: 22499
Curtiu: 1834 vezes
Foi curtido: 1193 vezes
Programa CH: Chaves
Time de Futebol: Palmeiras
Fantasias: Não utilizo
Dilma usará entrevista de Temer como prova contra impeachment
Para os defensores de Dilma, a fala de Temer mostra que o processo de impeachment teve desvio de finalidade em sua origem

Por Estadão Conteúdo
16 abr 2017, 16h41 - Atualizado em 16 abr 2017, 16h42

Imagem
Michel Temer e Dilma Rousseff: Para ele, se o PT tivesse votado a favor de Cunha, "era muito provável que a senhora presidente continuasse" (Ueslei Marcelino/Reuters)

A defesa da ex-presidente Dilma Rousseff vai protocolar nesta segunda-feira (17) uma petição no Supremo Tribunal Federal (STF) usando uma entrevista do presidente Michel Temer à TV Bandeirantes como prova para contestar o impeachment da petista. Para os defensores de Dilma, a fala de Temer mostra que o processo de impeachment teve desvio de finalidade em sua origem.

Dilma foi afastada definitivamente da Presidência da República no dia 31 de agosto de 2016, por 61 votos a 20 no Senado. Na entrevista, veiculada na noite deste sábado (15), Michel Temer relembra uma conversa mantida com o então presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), na época alvo de um processo por quebra de decoro parlamentar no Conselho de Ética da Câmara.

Em dezembro de 2015, a bancada do PT na Câmara decidiu fechar questão contra Cunha no conselho, se posicionando a favor da continuidade do processo de cassação do peemedebista. Cunha decidiu então aceitar o pedido de impeachment contra Dilma, feito pelos juristas Hélio Bicudo, Miguel Reale Jr. e Janaina Paschoal. O peemedebista disse à época que a aceitação do pedido tinha “natureza técnica”.

“Eu vejo o noticiário, dizendo que o presidente do PT e os três membros do PT se insurgiram e votariam contra (Cunha). Quando foi 15h da tarde, ele (Cunha) me ligou e disse: ‘Tudo aquilo que eu disse (de arquivar os pedidos de impeachment de Dilma) não vale, porque agora vou chamar a imprensa e vou dar início ao processo de impedimento'”, relatou Temer.

Por 11 a 9, o Conselho de Ética acabou aprovando um relatório que pedia a continuidade do processo contra Cunha. Para Temer, se o PT tivesse votado a favor de Cunha, “era muito provável que a senhora presidente continuasse” no cargo.

Indagado por um repórter se a história teria sido outra se Cunha tivesse conseguido os três votos do PT no conselho, Temer respondeu: “Seria outra, é verdade”.

Durante a entrevista, o presidente disse que contou o episódio para revelar que Cunha não iniciou o processo de impedimento de Dilma por sua causa. “Eu jamais militei pra derrubar a senhora presidente da República”, enfatizou Temer.
EXAME / ESTADÃO CONTEÚDO

@FellipeKyle @Antonio Felipe


Voltar ao topo
 Perfil  
 

Re: Dilma Rousseff
MensagemEnviado: 17 Abr 2017, 17:19 
Offline
Avatar do usuário
Membro

Registrado em: 05 Fev 2012, 12:39
Mensagens: 9184
Localização: Salvador - BA
Curtiu: 137 vezes
Foi curtido: 233 vezes
Programa CH: Chaves
Time de Futebol: Vitória
Fantasias: Não utilizo
Impeachment é um processo mais político do que jurídico. A fala do Temer faz sentido então.

_________________
Imagem

Vencedor do Usuário do Mês (maio, junho e outubro de 2012)
Usuário do Ano de 2012
Moderador do subs Da Discussão Nasce a Luz e CH no Exterior (novembro de 2012 - novembro de 2013 / novembro de 2015 - novembro de 2016)
Moderador do TV de Segunda Mão (novembro de 2013 - novembro de 2014)
Moderador Global (novembro de 2014 - novembro de 2015)
Imagem
Imagem


Voltar ao topo
 Perfil  
 

Re: Dilma Rousseff
MensagemEnviado: 17 Abr 2017, 18:25 
Offline
Avatar do usuário
Membro

Registrado em: 28 Jun 2013, 18:49
Mensagens: 5627
Localização: Centro de Atenção Integrada à Saúde Mental - Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo
Curtiu: 19 vezes
Foi curtido: 479 vezes
Programa CH: Chespirito
Time de Futebol: Ed Gein FC
Fantasias: Chiquinha
Tá, o que ela quer, então? Voltar? Já está no finalzinho do mandato e não é mais prático. De qualquer forma o impedimento foi escrito certo com linhas tortas, o Cunha que é um verme asqueroso, não os demais que entraram com o pedido.

_________________
Imagem

- Que filho da puta!


Voltar ao topo
 Perfil  
 

Re: Dilma Rousseff
MensagemEnviado: 17 Abr 2017, 20:10 
Offline
Avatar do usuário
Administrador

Registrado em: 29 Jan 2009, 13:37
Mensagens: 39658
Localização: Porto Alegre - RS
Curtiu: 546 vezes
Foi curtido: 1800 vezes
Programa CH: Chapolin
Time de Futebol: Grêmio
Fantasias: Não utilizo
Até os peixes do Paranoá sabiam que esse impeachment nunca foi pelas pedaladas ou qualquer coisa visando moral, mas uma manobra política.

_________________
Fundador e administrador do Fórum Chaves
Diretor do Fã-Clube Chespirito Brasil
Autor do livro "O Diário do Seu Madruga"

Eleito pelos usuários como o melhor moderador em 2011, 2012, 2013 e 2014


Twitter: @Antonio_Felipe


Voltar ao topo
 Perfil  
 

Re: Dilma Rousseff
MensagemEnviado: 18 Abr 2017, 20:10 
Offline
Avatar do usuário
Membro

Registrado em: 04 Dez 2011, 22:00
Mensagens: 22499
Curtiu: 1834 vezes
Foi curtido: 1193 vezes
Programa CH: Chaves
Time de Futebol: Palmeiras
Fantasias: Não utilizo
Não há hipótese de anulação do impeachment de Dilma, diz Temer
Posicionamento veio em resposta ao que Temer disse um dia antes, em outra entrevista, atribuindo a abertura do processo de impedimento de Dilma à falta de apoio da bancada do PT

HÁ 1 HORA
POR NOTÍCIAS AO MINUTO

Imagem
© Marcos Corrêa/PR

O presidente Michel Temer afirmou na noite desta segunda-feira (17), em entrevista ao SBT Brasil, que não vê chances do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff ser anulado.

O posicionamento veio em resposta ao que Temer disse um dia antes, em outra entrevista, atribuindo a abertura do processo de impedimento de Dilma à falta de apoio da bancada do PT, partido da então presidente, ao ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

“Pelo regimento interno da Câmara, se o presidente da Câmara interferir no pedido de impedimento, há recurso no plenário. Com a margem muito significativa de votos que teve o impedimento, evidentemente se isso acontecesse, iria para o plenário e o plenário decretaria o início do impedimento. Estou apenas supondo hipóteses”, disse Temer.



À TV Bandeirantes, o presidente da República deu a entender que, se o PT tivesse votado com Cunha no Conselho de Ética da Câmara, que em 2016 avaliava abertura de processo de cassação do então presidente da Casa, Dilma possivelmente ainda teria a faixa presidencial.

“Foi uma coisa avassaladora, em termos de votação. Se havia uma subjetividade dele [Eduardo Cunha] nessa direção, não foi o que comandou a decisão do plenário da Câmara e do Senado”, comentou Temer ao SBT Brasil, minimizando assim a influência de Cunha no episódio.

A defesa de Dilma Rousseff ainda aguarda a análise do impeachment e do seu mérito por parte do Supremo Tribunal Federal (STF). Após a entrevista de Temer à Bandeirantes, os defensores da ex-presidente declararam que iriam usar as palavras do ex-aliado no processo.

Ao SBT Brasil, Temer declarou ainda não sentir qualquer pressão por uma eventual delação premiada de Cunha, que está preso desde outubro do ano passado em Curitiba, pelo seu envolvimento na Operação Lava Jato.

Não sei o que ele pretende fazer, não estou preocupado com o que ele venha a fazer. Espero que ele seja muito feliz. Espero que se justifique em relação a todos os eventuais problemas que tenha tido. Acho que ele foi um deputado muito atuante, muito eficiente no exercício da legislatura. Mas não sei o que ele vai fazer, não tenho que me incomodar com isso."

O presidente da República ainda disse “só ter conhecido agora” o ex-executivo da Odebrecht Márcio Faria, delator que afirmou à Justiça que uma reunião com Temer definiu o repasse de US$ 40 milhões para “comprar o apoio” do PMDB. “[Faria] era uma das dezenas de empresários”, revelou Temer, com os quais se reunia à época, em 2010.
NOTÍCIAS AO MINUTO / SPUTNIK BRASIL


Voltar ao topo
 Perfil  
 

Re: Dilma Rousseff
MensagemEnviado: 19 Abr 2017, 12:55 
Offline
Avatar do usuário
Membro

Registrado em: 04 Dez 2011, 22:00
Mensagens: 22499
Curtiu: 1834 vezes
Foi curtido: 1193 vezes
Programa CH: Chaves
Time de Futebol: Palmeiras
Fantasias: Não utilizo
Dilma compara Doria aos tecnocratas construídos pela ditadura militar
Declaração foi dada durante evento na Universidade George Washington, nos Estados Unidos

HÁ 16 MINS
POR NOTÍCIAS AO MINUTO

Imagem
© Reuters

Dilma Rousseff ministrou palestra, nessa terça-feira (18), na Universidade George Washington, nos Estados Unidos. Na ocasião, também participou de um bate-papo com o público e respondeu a perguntas feitas pela plateia.

A ex-presidente não poupou críticas a nomes que surgem como possíveis candidatos à Presidência nas eleições de 2018, a exemplo do prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), e do apresentador de TV Luciano Huck.

Ela chegou a comparar os dois nomes aos tecnocratas construídos pela ditadura militar, a partir da “noção de que tinha de se higienizar a política”.

"Não podemos impedir e achar que alguém não tem o direito de concorrer. O problema é se eu voto ou se eu concordo em votar numa proposta pretensamente apolítica. Eu acho que qualquer proposta apolítica é tecnocrática. O que é ser tecnocrata? […] Ele surge com a ditadura. Ele é um produto direto da ditadura. Eles constroem a noção de que tinha de se higienizar a política. E, ao higienizar a política, se criam os grandes técnicos, acima do voto direto, das carências da democracia, da incapacidade do nosso povo de ser mestre de si mesmo. O tecnocrata vinha decidir e fazer as escolhas políticas adequadas e a gestão adequada da atividade econômica, da atividade administrativa. Agora, surgiu um outro tipo, ou dois tipos.”

Sobre Doria, Dilma ainda comentou que ele é empresário e não político. "Economia, no sentido do empresário, é cuidar de si mesmo, dos seus interesses. Não necessariamente uma pessoa que cuida de si mesmo com eficiência, dos seus interesses, será uma pessoa que corresponderá aos anseios do seu povo.”

Ela também não perdoou a possível candidatura de Huck. “As pessoas confundem auditório de um show de mídia com a solução dos problemas sociais. […] 'Eu fui lá, chamei uma senhora, trouxe no meu programa, resolvi o problema dela. Veja como eu sou competente'. Vá resolver o problema de 56 milhões de pessoas para ver se é assim, com essa facilidade!”, disparou.

A ex-presidente também falou sobre as investigações contra Lula, considerando-as uma “campanha de destruição de reputação.” ''Se o Judiciário quiser afastá-lo, terá de pensar bastante, porque são muito frágeis as provas contra ele'', opinou.
NOTÍCIAS AO MINUTO


Voltar ao topo
 Perfil  
 

Exibir mensagens anteriores:  Ordenar por  
Criar novo tópico Responder  [ 2741 mensagens ]  Ir para página Anterior  1 ... 175, 176, 177, 178, 179, 180, 181 ... 183  Próximo

Todos os horários são GMT - 3 horas


Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 1 visitante


Enviar mensagens: Proibido
Responder mensagens: Proibido
Editar mensagens: Proibido
Excluir mensagens: Proibido

Procurar por:
Ir para: