Economia

Espaço para debates sobre assuntos que não sejam relacionados a Chespirito, como cinema, política, atualidades, música, cotidiano, games, tecnologias, etc.
Avatar do usuário
E.R
Membro
Membro
Mensagens: 88200
Registrado em: 01 Fev 2009, 19:39
Programa CH: Chaves
Time de Futebol: Flamengo
Localização: Rio de Janeiro (RJ)
Curtiu: 5436 vezes
Curtiram: 1948 vezes

Re: Economia

Mensagem por E.R » 09 Mar 2020, 22:26

Imagem
Imagem

Avatar do usuário
Chapolin Comunista
Membro
Membro
Mensagens: 3240
Registrado em: 03 Fev 2009, 00:22
Programa CH: Chapolin
Time de Futebol: Grêmio
Localização: Viamão - RS
Curtiu: 152 vezes
Curtiram: 45 vezes

Re: Economia

Mensagem por Chapolin Comunista » 10 Mar 2020, 05:26

Avatar: Bolsocorno, o rei do gado se transformou em boi para se assemelhar ao rebanho bolsonarista. Osmar Enterra na rachadinha da Micheque.

O Chapolin é um herói latino-americano lutando contra as forças imperialistas (Super Sam, Batman, Superman). Ele sempre foi vermelho.

Chaves é sobre a luta de classes. Burguesia (Seu Barriga, Nhonho), Pequeno-burguesia (Dona Florinda, Girafales, Quico) e Classe Operária (Chaves, Seu Madruga, Chiquinha).E você, de que lado está?


''A direita é a escória.''
RUI COSTA PIMENTA

Avatar do usuário
Barbano
Administrador
Administrador
Mensagens: 41786
Registrado em: 28 Jan 2009, 13:29
Time de Futebol: São Paulo
Localização: São Carlos (SP)
Curtiu: 1894 vezes
Curtiram: 3816 vezes

Re: Economia

Mensagem por Barbano » 10 Mar 2020, 10:58

Bazzo escreveu:Não sei se os esquerdistas modernos possuem uma definição diferente do que seria Anarquia e Comunismo.

Mas pelo que sempre estudei, os anarquistas são comunistas """não""" radicais, ou seja, desejam ter um país das maravilhas sem passar por uma ditadura sangrenta.

Se alguém de esquerda disposto a explicar aqui quiser resumir, fiquem a vontade, não sei se terminarei de assistir a "aula" tão cedo.
Cara, anarquia é cada um por si. Terra sem lei. Não tem NADA a ver com comunismo.

Avatar do usuário
Chapolin Comunista
Membro
Membro
Mensagens: 3240
Registrado em: 03 Fev 2009, 00:22
Programa CH: Chapolin
Time de Futebol: Grêmio
Localização: Viamão - RS
Curtiu: 152 vezes
Curtiram: 45 vezes

Re: Economia

Mensagem por Chapolin Comunista » 10 Mar 2020, 18:23

Anarquismo é uma doutrina idealista pequeno-burguesa.
Dia de pânico nos mercados
A forte queda das bolsas
Bolsas de valores apontam para uma enorme deterioração da economia capitalista
Depois de fechar as últimas três semanas com queda de 11,75% no acumulado, a bolsa de valores de Nova Iorque abriu esta segunda feira sob forte retração após anúncio da Arábia Saudita em elevar a produção de petróleo para mais de 10 milhões de barris, além de fornecer descontos no valor do seu barril, o que derrubou o valor do petróleo em mais de 30%, a maior desvalorização desde 1991. O pânico causado pela retração levou a bolsa americana a ser suspensa para evitar quedas mais acentudas, retomando as atividades após 15 minutos, o que não impediu o pior nível de atividade desde janeiro de 2019, com queda superior a 2 mil pontos no índice Dow Jones, que fechou o dia em -7,79%, a mais expressiva retração desde 2008.

As bolsas de valores do mundo inteiro seguiram Wall Street fechando com forte queda. Na Ásia, o índice Nikkei, da bolsa de Tóquio, registrou tombo de -5,07%, atingindo 19.698 pontos. A movimentação na bolsa japonesa coincide com a divulgação do encolhimento da economia do Japão em -7,1% no último trimestre de 2019. Situação também das bolsas de Hong Kong (-4,23%), Xangai (-3,01%), Seul (-4,19%) e Singapura (-6,03%). Na Austrália, a bolsa de Sydney recuou -7,33%. Na Europa, o índice pan-europeu Stoxx registrou perda de -6,6%. Entre os países do bloco europeu, o destaque ficou para a Itália, onde a bolsa de Milão fechou o pregão desta segunda feira com -10,02% mas a crise foi enorme também nas bolsas de Lisboa (-8,66%), Paris (-8,39%), Frankfurt (-7,94%), Madri (-7,96%) e Londres (-7,69%).

Analistas da imprensa capitalista tem destacado a combinação do coronavírus com a guerra comercial aberta entre os sauditas e russos pelo preço do petróleo mas outros países dependentes da exportação da commodity, como Irã e Venezuela também se encontram seriamente atingidos pela política adotada pela Arábia Saudita, o que torna pouco crível que a iniciativa do movimento tenha realmente partido dos árabes.

Como já destacado por este Diário, existe um contexto histórico muito mais amplo, que remete a profunda crise enfrentada pelo sistema capitalista, o que obriga as principais nações imperialistas a exercerem seu controle (“imperium”) sobre as nações atrasadas de modo cada vez mais agressivo. Isso é facilmente percebido quando os EUA anunciam “injeção de liquidez” nos mercados financeiros da ordem de US$150 bilhões ao mesmo tempo em que uma onda de desvalorizações de moedas nacionais tira bilhões de dólares de países atrasados como o Brasil. Mesmo com novo aporte de US$3 bilhões em operações chamadas “swap cambial” realizadas no dia 09 (e que se somam a uma gigantesca fuga de capitais ocorrida nos últimos 3 meses), o real viu uma desvalorização frente ao dólar de -3,7%, chegando a R$4,80 para 1 dólar e finalmente fechando o pregão de segunda em R$4,72. Mais do que uma continência simbólica, é essa uma das principais ações de submissão que o imperialismo obriga seus capachos da direita a cumprirem. Os US$150 bilhões que Trump prometeu aos seus banqueiros não vão sair do bolso dos americanos. Para isso eles tem Bolsonaro e toda a corja golpista, que tomou o país de assalto em 2016 e vem desde então impondo os interesses do imperialismo em primeiro lugar.
https://www.causaoperaria.org.br/queda-das-bolsas/
Editado pela última vez por Bugiga em 11 Mar 2020, 12:28, em um total de 1 vez.
Razão: Colocação de spoiler em notícia longa
Avatar: Bolsocorno, o rei do gado se transformou em boi para se assemelhar ao rebanho bolsonarista. Osmar Enterra na rachadinha da Micheque.

O Chapolin é um herói latino-americano lutando contra as forças imperialistas (Super Sam, Batman, Superman). Ele sempre foi vermelho.

Chaves é sobre a luta de classes. Burguesia (Seu Barriga, Nhonho), Pequeno-burguesia (Dona Florinda, Girafales, Quico) e Classe Operária (Chaves, Seu Madruga, Chiquinha).E você, de que lado está?


''A direita é a escória.''
RUI COSTA PIMENTA

Avatar do usuário
Chapolin Comunista
Membro
Membro
Mensagens: 3240
Registrado em: 03 Fev 2009, 00:22
Programa CH: Chapolin
Time de Futebol: Grêmio
Localização: Viamão - RS
Curtiu: 152 vezes
Curtiram: 45 vezes

Re: Economia

Mensagem por Chapolin Comunista » 11 Mar 2020, 04:16

Desmoronando
Produção de veículos no Brasil tem queda de 20,8% em fevereiro
Indústria automobilística teve queda de 20,8% no mês de fevereiro. Foram produzidos 204.197 automóveis, comerciais leves, e caminhões em 2020 contra 257.939 produzidos em 2019
Em comparação com o mês de Fevereiro de 2019, a queda foi de 20,8%, informou a Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores) nesta 6ª feira (6.mar.2020). Foram 204.197 automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus produzidos no mês contra 257.939 produzidos em 2019. Comparados a fevereiro de 2018, também houve queda. Queda menor, mas queda. O produzido no presente ano foi menor em 4,3% em relação a fevereiro de 2018, quando foram produzidos 213,5 mil carros, comerciais leves (picapes e furgões), caminhões e ônibus. Somando os dois primeiros meses de 2020, a produção no bimestre foi de 395.928 unidades. Queda de 13,4%, na comparação com o mesmo período de 2019, quando o setor produziu 457.084 unidades em janeiro e fevereiro.

Exportações em queda no ano

Em fevereiro houve queda nas exportações de veículos. Foram 37.677 unidades vendidas em 02/2020, contra 40.510 no mesmo mês de 2019. No acumulado, o volume está 11,2% menor. “As dificuldades são as mesmas: Argentina, México, Colômbia e Chile estão em queda. Exportação continua sendo um desafio para o setor”, disse Moraes.

Dólar e juros
O presidente da Anfavea vê volatilidade acima do normal no dólar e diz que “alguma coisa precisa ser feita”, pedindo “menos barulho em Brasília”. O executivo também questionou a situação atual dos juros para o consumidor final (CDC), que voltou a subir neste ano. “Não entendo. A Selic está caindo, a inadimplência está sob controle”.

Nervosismo

Disparada do dólar, o desmoronamento nas cotações de bolsas de valores, o coronavírus, e agora a instabilidade provocada pela crise entre o presidente e congresso, afetam a confiança das pessoas para consumir e investir, desabafa Moraes. “Precisamos de um pacto pela estabilidade”, disse. “Precisamos de menos barulho e mais atenção à questão do crescimento econômico”.

Coronavírus ameaça parar a indústria automobilística

Coronavírus, a epidemia que nasceu na China e espalha-se pelo mundo, acaba de também ao Brasil chegar, com duas dezenas de casos, pode afetar as montadoras ao final de março e começo de abril, adverte Luiz Carlos Moraes, o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores. As importações de peças da China são 13% da totalidade necessárias para a indústria automobilística do Brasil.

A recuperação econômica precisa ser acompanhada de forte produção industrial. Sem isso, a recuperação é uma farsa.
https://www.causaoperaria.org.br/produc ... fevereiro/
Editado pela última vez por Bugiga em 11 Mar 2020, 12:28, em um total de 1 vez.
Razão: Colocação de spoiler em notícia longa
Avatar: Bolsocorno, o rei do gado se transformou em boi para se assemelhar ao rebanho bolsonarista. Osmar Enterra na rachadinha da Micheque.

O Chapolin é um herói latino-americano lutando contra as forças imperialistas (Super Sam, Batman, Superman). Ele sempre foi vermelho.

Chaves é sobre a luta de classes. Burguesia (Seu Barriga, Nhonho), Pequeno-burguesia (Dona Florinda, Girafales, Quico) e Classe Operária (Chaves, Seu Madruga, Chiquinha).E você, de que lado está?


''A direita é a escória.''
RUI COSTA PIMENTA

Avatar do usuário
Chapolin Comunista
Membro
Membro
Mensagens: 3240
Registrado em: 03 Fev 2009, 00:22
Programa CH: Chapolin
Time de Futebol: Grêmio
Localização: Viamão - RS
Curtiu: 152 vezes
Curtiram: 45 vezes

Re: Economia

Mensagem por Chapolin Comunista » 11 Mar 2020, 11:09

Cenário hoje é pior
Economista que previu crise de 2008 anuncia novo crash
Economista prevê nova crise em função de bolha imobiliária construída em cenário marcado por forte endividamento, o que trará consequências políticas.
Economista iraniano radicado nos Estados Unidos, Nouriel Roubini se destacou na década passada quando previu, em artigo publicado no ano de 2006, que uma bolha especulativa no mercado de imóveis iniciada em meados dos anos 1990 estava prestes a afundar a economia, resultando em “uma profunda recessão”. Em entrevista ao alemão Der Spiegel, Roubini voltou a fazer previsões bombásticas, afirmando, ainda em fins de fevereiro, que o mercado de ações sofreria uma retração de 30 a 40% em função do coronavírus.

Em que pese as limitações tipicamente burguesas sobre o aspecto mais importante da crise, produto de um longo processo de apodrecimento do sistema capitalista, o economista traz à tona questões cruciais da crise mundial em sua entrevista, traduzida no sítio da Carta Maior.

Uma que aponta para o problema supracitado e que merece ser destacada, não haverá “recessão em forma de V”. Isto por que ainda que a recuperação posterior ocorra, ela não será capaz de puxar o gráfico do crescimento econômico para cima. Isto é especialmente importante de ser destacado, porque a entrevista em questão aconteceu semanas antes da sequência de retrações na bolsa de valores de Nova Iorque, que começou essa semana com a pior retração desde 2008. A queda na bolsa de N. Iorque se deu em função de fatores colaterais da crise, as contradições no interior da burguesia acabaram levando a um choque entre Arábia Saudita e Rússia, o que atendeu aos interesses dos setores imperialistas da burguesia mas levou a uma queda vertiginosa do preço do petróleo e derrubou praticamente todas as bolsas de valores do planeta no começo dessa semana. Claro que esse evento não poderia ter sido previsto mas corrobora a perspectiva de Roubini de que um novo crash está por vir.

Outro ponto que reforça a perspectiva de que este crash tende a ser mais violento é o crescimento da dívida. Conforme relatório divulgado pelo FMI e lembrado pelo economista, o grau de endividamento explodiu de 2008 pra cá, tornando as economias muito mais frágeis em caso de crises financeiras. O economista lembra que a difícil situação do Japão, que poucos dias após a publicação da entrevista divulgou o encolhimento de sua economia no último trimestre de 2019 da ordem de -6,3%, um dado muito significativo da extensão do problema em um país central do imperialismo. Roubini explica ainda que a expansão do endividamento provocou uma nova bolha nos Estados Unidos, que faz a economia americana operar com uma “bomba relógio”.

Mencionando também uma questão aritmética para explicar por que o encolhimento da economia chinesa induz a um cenário de recessão para o ano, Roubini dá muitos detalhes que merecem ser observados, incluindo a perspectiva de uma guerra em função das tensões provocadas pela crise, nesse caso, contra o Irã (que segundo o economista, está acostumado a sofrer e não serão derrotados em caso de guerra por controle de petróleo mas levarão a derrota de Trump). Ele só falha em não aprofundar sua análise (por razões óbvias) e lembrar que o capitalismo, tal qual um decrépito a beira da morte, requer constantes e cada vez mais numerosas intervenções sobre sua débil saúde. Já não há tratamento capaz de curá-lo.
https://www.causaoperaria.org.br/econom ... ovo-crash/
Avatar: Bolsocorno, o rei do gado se transformou em boi para se assemelhar ao rebanho bolsonarista. Osmar Enterra na rachadinha da Micheque.

O Chapolin é um herói latino-americano lutando contra as forças imperialistas (Super Sam, Batman, Superman). Ele sempre foi vermelho.

Chaves é sobre a luta de classes. Burguesia (Seu Barriga, Nhonho), Pequeno-burguesia (Dona Florinda, Girafales, Quico) e Classe Operária (Chaves, Seu Madruga, Chiquinha).E você, de que lado está?


''A direita é a escória.''
RUI COSTA PIMENTA

Victor235
Membro
Membro
Mensagens: 38447
Registrado em: 04 Dez 2011, 22:00
Programa CH: Chaves
Time de Futebol: Palmeiras
Curtiu: 3639 vezes
Curtiram: 3083 vezes

Re: Economia

Mensagem por Victor235 » 11 Mar 2020, 19:49

Imagem
Guedes faz apelo ao Congresso para aprovar projetos e ‘blindar’ a economia
Guedes justifica o apelo citando o “agravamento da crise internacional em função da disseminação do coronavírus e a necessidade de blindagem da economia brasileira“.
“A equipe econômica monitora atentamente a evolução dos cenários internacional e doméstico. Com a continuidade de reformas estruturais que o país precisa, será possível recuperar espaço fiscal suficiente para a concessão de outros estímulos à economia“, escreveu o ministro.
https://www.poder360.com.br/governo/gue ... -economia/
"Se aproveitaram da minha astúcia" - VELOSO, Caetano

Avatar do usuário
Phoebe Buffay
Membro
Membro
Mensagens: 7936
Registrado em: 13 Nov 2012, 23:45
Programa CH: Chespirito
Localização: Casa nº 21
Curtiu: 19 vezes
Curtiram: 689 vezes

Re: Economia

Mensagem por Phoebe Buffay » 11 Mar 2020, 20:10

Bugiga escreveu:Ué, agora dólar alto é ruim? Em 2015 a esquerda passava pano para isso sob o "argumento" de que "não comemos dólar". Como são volúveis.

(E sim, dólar alto é uma merda. Só acho engraçada a incoerência típica da esquerda).
O bolívar soberano venezuelano tá mais de 4 anos valendo 0 reais na prática, mas ninguém quer tirar o Maduro. Porque será?
Esses usuários curtiram o post de Phoebe Buffay (total: 1):
Bugiga
Imagem

Avatar do usuário
Chapolin Comunista
Membro
Membro
Mensagens: 3240
Registrado em: 03 Fev 2009, 00:22
Programa CH: Chapolin
Time de Futebol: Grêmio
Localização: Viamão - RS
Curtiu: 152 vezes
Curtiram: 45 vezes

Re: Economia

Mensagem por Chapolin Comunista » 11 Mar 2020, 23:36

Crise mundial
Doutrina do Choque
Guerra, Golpe de estado, atentado terrorista, crise do mercado, “coronavírus”. Qualquer pretexto serve aos espertalhões para devastadores ataques aos direitos democráticos sociais
Doutrina do Choque

Rico ensinamento nos traz, ensaio de Noemi Klein, baseado em estudo de quatro décadas de choques provocados pelo mundo. Do “Golpe de Pinochet”, com apoio dos EUA, em 1970 ao “Furacão Katrina”, em 2005, introduz a apresentação de seu trabalho, “A doutrina do Choque”. O ensaio em livro, foi também objeto de documentário de 01:18:00, que pode ser baixado do youtube.

Após um episódio chocante, como uma guerra, um golpe de estado, um atentado terrorista, uma crise do mercado ou desastre natural, espertalhões exploram a desorientação do público, para suspender a democracia, e implementar demolidores ataques aos direitos da população trabalhadora para enriquecer os muito ricos às custas dos muito pobres. “Estamos revogando o Obamacare”, declara o presidente americano Trump. Acabando com o sistema público gratuito de saúde dos EUA.

O governo está constantemente semeando o caos

Espertalhões usam o caos, por eles mesmos, provocado, como pretexto para implantar políticas de ataques contra os pobres, para beneficiar os muito ricos.

Entre os violentos cortes do orçamento público, 4 trilhões de dólares, foram retirados do Medicaid (sitema público de saúde dos Estados Unidos) e da Seguridade Social.

E isso, é apenas o começo.

Espertalhões usam como pretexto, o crash econômico como em 2008. Talvez um desastre natural como o furacão Katrina. Um terrível atentado terrorista. Quem sabe um “coronavírus”, por que não? Qualquer desses desastres pode alterar radicalmente a conjuntura política, dando à equipe econômica do presidente, o pretexto para nos empurrar goela abaixo, ataques radicais contra direitos democráticos. Contra direitos sociais.

O que fazer?

Face a uma catástrofe, o presidente pode decretar “estado de exceção”, ou “estado de emergência”, “estado de sítio”, e os direitos e garantias democráticas, são suspensos. Protestos e greves que bloqueiam estradas e aeroportos, manifestações, serão declaradas “ameaças à segurança nacional”. Líderes passarão a ser considerados “terroristas”. Vigiados. Presos.

Caso não houver mobilização pública nas ruas desafiando o decreto de “estado de exceção”, ou “estado de emergência”, a equipe econômica passa como um trator sobre os direitos da população. A polícia, o exército, são imediatamente acionados para perseguir os líderes. Prendê-los. Concomitantemente a equipe econômica, empurra goela abaixo, os inúmeros ataques, contra os direitos sociais dos trabalhadores.

Os meios de comunicação passam a ser ameaçados de estarem mentindo, atrapalhando a ação do governo. Judiciário é atacado, e o inibe de agir. A escalada de ataques contra o congresso se intensificam. Êsse é o roteiro em todas as crises, naturais ou fabricadas, conta a escritora Klein, durante a apresentação da Doutrina do Choque.

Criado o caos, o clima de pânico, o país é arrastado para uma guerra, não importando o país ser ou não responsável pela catástrofe, pelo possível atentado, etc.

Afeganistão e Iraque, por exemplo, embora nada tivessem relação com ataque terrorista às torres gêmeas de Nova Iorque, foram invadidos, destruídos, Saddam assassinado, e o petróleo que era estatal e do povo iraquiano, os americanos e ingleses, do petróleo se apossaram. Tropas invasoras americanas e da OTAN, até hoje ocupam os países invadidos. Suas riquezas saqueadas pelos países invasores, especialmente EUA e Inglaterra.

Saia de casa. Vá para as ruas. Se rebele. Desafie as proibições

Saia de casa. Vá para as ruas. Desafie as proibições. Quando o governo manda, tu ficar em casa, se rebele. Desobedeça. Atenda o chamado das organizações operárias, vá para as ruas em grandes mobilizações. Derrote o golpe.

Foi o que aconteceu na Argentina em 2001. Com a crise, presidente decretou “estado de sítio”, dando poder a si mesmo para suspender a constituição e os direitos democráticos de o povo se reunir e protestar. Presidente golpista fez mais, ordenou que ficassem em casa. Em preparação estavam sendo arquitetados profundos ataques à população. Povo desafiou a ordem de ficar em casa. Desobedeceu. Foi às ruas. Bateram panelas. Das ruas não mais saíram. Cinco presidentes diferentes a Argentina teve. Quatro foram derrubados. O golpe foi abortado. Eleições foram chamadas. Argentina livrou-se dos golpistas, e por 15 anos se viram livres dos ataques aos direitos sociais e econômicos dos espertalhões.

Desconfie.

Divisão. Guerra. Medo. Fiquem tranqüilos. O governo vai te proteger. É a clássica estratégia para colocar em prática a Doutrina do Choque.

Estados Unidos. Uma história recheada de golpes

A história do imperialismo americano é rico em histórias de utilizar catástrofes como pretexto para suspender garantias constitucionais e atacar direitos básicos do povo.

Após a guerra civil. 1865. Escravidão abolida. Governo em crise. A promessa de 16 hectares de terra e uma mula prometida para os ex-escravos, não foi cumprida. Em meio a crise do crash de 1929, Dois milhões de trabalhadores de origem mexicana foram expulsas do EUA. Após o ataque japonês à Pearl Harbour, na 2ª. Guerra Mundial, 120 mil americanos de origem japonesa, foram encarcerados em campos de concentração nos EUA.

Enquanto estamos preocupados com segurança e liberdades civis, a equipe econômica – à espreita, prepara o bote

Quando o medo e o caos ocupam todas as atenções, os espertalhões, preparam medidas radicais para enriquecer a si mesmo, enriquecer os já imensamente ricos. Colocam em prática para a crise resolver, monumental desmonte da seguridade social, (no Brasil, congelaram verbas da educação, da saúde, do Pró-Uni, do FIES, da Minha Casa Minha Vida, destruíram direitos trabalhistas, destruíram as aposentadorias). Preparam agora a privatização da Petrobrás.

O caos provocado pelo coronavírus, deixou a Petrobrás mais barata em R$ 91 bilhões. Abutres capitalistas esfregam as mãos.

Ante o caos devastador, em grande medida provocado pelo próprio governo, Paulo Guedes tranqüilo. Para enfrentar a crise que devasta o Brasil, o ministro da economia de Bolsonaro, promete o ataque final nos direitos da população. Vem aí a reforma administrativa que acaba com direitos dos servidores públicos, seus salários serão reduzidos, sua estabilidade exterminada. Dispensas poderão ser feitas. Outros ataques virão. A privatização da Petrobrás, da Eletrobrás, da Sabesp, do Cenae, da Caixa Econômica Federal, do Banco do Brasil, do BNDES, da Casa da Moeda, dos Correios…

Doutrina do Choque à pleno vapor. Espertalhões, se aproveitam do caos, drásticas medidas implementadas aos borbotões

O final do filme já é conhecido. Os espertalhões ricos, mais ricos ficam. Milionários. Bilionários. Trilionários, quiçá. Os pobres trabalhadores, mais pobres. Miseráveis.

Doutrina do Choque

Do Golpe de Pinochet, com apoio dos EUA, em 1970 ao Furacão Katrina, em 2005.

Após um episódio chocante, com uma guerra, um golpe de estado, um atentado terrorista, uma crise do mercado ou desastre natural, espertalhões exploram a desorientação do público, para suspender a democracia, e implementar demolidores ataques aos direitos da população trabalhadora para enriquecer os muito ricos às custas dos muito pobres. “Estamos revogando o Obamacare”, declara o presidente americano Trump. Acabando com o sistema público gratuito de saúde dos EUA. “Os Estados Unidos vão se retirar do acordo do clima de Paris”…

O governo está constantemente semeando o caos

Expertos usam o caos, por eles mesmo provocado, como pretexto para implantar políticas pró-empresariado.

Entre os violentos cortes do orçamento público, 4 trilhões de dólares, foram retirados do Medicaid (sitema público de saúde dos Estados Unidos) e da Seguridade Social.

E isso, é apenas o começo.

Expertalhões usam como pretexto, o crash econômico como em 2008. Talvez um desastre natural como o furacão Katrina; Um terrível atentado terrorista. Quem sabe um “coronavírus”, por que não?

Qualquer desses desastres pode alterar radicalmente a conjuntura política, dando à equipe econômica do presidente, o pretexto para nos empurrar goela abaixo, ataques radicais contra direitos democráticos. Contra direitos sociais.

O que fazer?

Face a uma catástrofe, o presidente pode decretar “estado de exceção”, ou “estado de emergência”, “estado de sítio”, e os direitos e garantias democráticas, são suspensos. Protestos e greves que bloqueiam estradas e aeroportos, manifestações, serão declaradas “ameaças à segurança nacional”. Líderes passarão a ser considerados “terroristas”. Vigiados. Presos.

Caso não houver mobilização pública nas ruas, desafiando, o decreto de “estado de exceção”, ou “estado de emergência”, a equipe econômica do passa como um trator sobre os direitos da população. A polícia, o exército, são imediatamente acionados para perseguir os líderes. Prendê-los. Concomitantemente a equipe econômica, empurra goela abaixo, os inúmeros ataques, contra os direitos sociais dos trabalhadores.

Os meios de comunicação passam a ser ameaçados de estarem mentindo, atrapalhando a ação do governo. Judiciário é atacado, e o inibe a agir. A escalada de ataques contra o congresso se intensificam.

Criado o caos, o clima de pânico, o país é arrastado para uma guerra, não importando se o país ser ou não responsável pela catástrofe, pelo possível atentado, etc.

Afeganistão e Iraque, por exemplo, embora nada tivessem relação com ataque terrorista às torres gêmeas de Nova Iorque, foram invadidos, destruídos, Saddam assassinado, e o petróleo que era estatal e do povo iraquiano, os americanos e ingleses, do petróleo se apossaram. Tropas invasoras americanas e da OTAN, até hoje ocupam os países invadidos. Suas riquezas saqueadas pelos países invasores, especialmente EUA e Inglaterra.

Saia de casa. Vá para as ruas. Desafie as proibições. Quando o governo manda, tu ficar em casa, se rebele. Desobedeça. Atenda o chamado das organizações operárias, vá para as ruas em grandes mobilizações. Derrote o golpe.

Foi o que aconteceu na Argentina em 2001. Com a crise, presidente decretou “estado de sítio”, dando poder a si mesmo para suspender a Constituição e os direitos democráticos de o povo se reunir e protestar. Presidente golpista fez mais, ordenou que ficassem em casa. Em preparação estavam sendo arquitetados profundos ataques à população.

Povo desafiou a ordem de ficar em casa. Desobedeceu. Foi às ruas. Bateram panelas. Das ruas não mais saíram. Cinco presidentes diferentes a Argentina teve. Quatro foram derrubados. O golpe foi abortado. Eleições foram chamadas. Argentina livrou-se dos golpistas, e por 15 anos se viram livres dos ataques aos direitos sociais e econômicos dos espertalhões.

Desconfie

Divisão. Guerra. Medo. Fiquem tranqüilos. O governo vai te proteger.

É a clássica estratégia para colocar em prática a Doutrina do Choque.

Estados Unidos. Uma história de golpes

A história do imperialismo norte-americano é rico em histórias de utilizar catástrofes como pretexto para suspender garantias constitucionais e atacar direitos básicos do povo.

Após a guerra civil. 1865. Escravidão abolida. Governo em crise. A promessa de 16 hectares de terra e uma mula prometida para os ex-escravos, não foi cumprida.

Em meio a crise do crash de 1929, Dois milhões de trabalhadores de origem mexicana foram expulsos do EUA.

Após o ataque japonês à Pearl Harbour, na 2ª. Guerra Mundial, 120 mil americanos de origem japonesa, foram encarcerados em campos de concentração nos EUA.

Enquanto estamos preocupados com segurança e liberdades civis, a equipe econômica – à espreita, prepara o bote.

Quando o medo e o caos ocupam todas as atenções, os espertalhões, preparam medidas radicais para enriquecer a si mesmo, enriquecer os já imensamente ricos. Colocam em prática para a crise resolver, monumental desmonte da seguridade social, (no Brasil, congelaram verbas da educação, da saúde, do Pró-Uni, do FIES, da Minha Casa Minha Vida, destruíram direitos trabalhistas, destruíram as aposentadorias). Preparam agora a privatização da Petrobrás.

O caos provocado pelo coronavírus, deixou a Petrobrás mais barata em R$ 91bilhões. Abutres capitalistas esfregam as mãos.

Ante o caos devastador, em grande medida provocado pelo próprio governo, Paulo Guedes tranqüilo. Para enfrentar a crise que devasta o Brasil, o ministro da economia de Bolsonaro, promete o ataque final aos direitos da população. Vem aí a reforma administrativa que acaba com direitos dos servidores públicos, seus salários serão reduzidos, sua estabilidade exterminada. Ainda os ataques outros por aí virão, a privatização da Petrobrás, da Eletrobrás, da Sabesp, do Cenae, da Caixa Econômica Federal, do Banco do Brasil, do BNDES, da Casa da Moeda, dos Correios…

Doutrina do Choque à pleno vapor. Espertalhões, se aproveitam do caos. Drásticos ataques implementados aos borbotões




O final do filme já é conhecido. Os espertalhões ricos, mais ricos. Milionários. Bilionários. Trilionários, quiçá. Os pobres trabalhadores, mais pobres. Miseráveis.

Não foi por acaso

Quando as ruas de Nova Orleans ainda estavam alagadas pelo furacão Katrina, o governo aproveitou-se do caos. Demitiu todos os professores públicos. Escolas públicas todas fechadas. Todo o filão da educação pública foi repassada para a iniciativa privada. O rico filão da educação, foi passada por inteiro para os espertalhões capitalistas da educação. Verdadeira pilhagem do dinheiro público.

Milionários espertalhões, manipularam o caos provocado pelo furacão Katrina, e tomaram de assalto o lucro filão da educação do estado americano devastado

Doutrina do Choque no Brasil

Será o coronavírus, o pretexto? Brasil será levado à guerra com a Venezuela. Espertalhões estão a esfregar as mãos. O bote é iminente. Abutres se preparam para assaltar as riquezas do Brasil. Devastação final dos direitos democráticos, dos direitos do povo.

Fora Bolsonaro.
https://www.causaoperaria.org.br/doutrina-do-choque/
Editado pela última vez por gusta dos biscoitos em 11 Mar 2020, 23:50, em um total de 1 vez.
Razão: ADICIONANDO SPOILER PORQUE AH NÃO VOU EXPLICAR O PORQUE TODO MUNDO ENTENDEU TO MUITO PUTO
Avatar: Bolsocorno, o rei do gado se transformou em boi para se assemelhar ao rebanho bolsonarista. Osmar Enterra na rachadinha da Micheque.

O Chapolin é um herói latino-americano lutando contra as forças imperialistas (Super Sam, Batman, Superman). Ele sempre foi vermelho.

Chaves é sobre a luta de classes. Burguesia (Seu Barriga, Nhonho), Pequeno-burguesia (Dona Florinda, Girafales, Quico) e Classe Operária (Chaves, Seu Madruga, Chiquinha).E você, de que lado está?


''A direita é a escória.''
RUI COSTA PIMENTA

Avatar do usuário
gusta dos biscoitos
Membro
Membro
Mensagens: 10124
Registrado em: 24 Jul 2018, 12:05
Programa CH: Chaves
Time de Futebol: Grêmio
Localização: RSRSRSRS
Curtiu: 4386 vezes
Curtiram: 905 vezes

Re: Economia

Mensagem por gusta dos biscoitos » 11 Mar 2020, 23:47

CARALHO VAI POSTAR A BIBILA SEM SPOILER LÁ LPNGE PUTA QUEBPARIU

Avatar do usuário
Chapolin Comunista
Membro
Membro
Mensagens: 3240
Registrado em: 03 Fev 2009, 00:22
Programa CH: Chapolin
Time de Futebol: Grêmio
Localização: Viamão - RS
Curtiu: 152 vezes
Curtiram: 45 vezes

Re: Economia

Mensagem por Chapolin Comunista » 11 Mar 2020, 23:54

Calma, calma! Sem dor anal, não precisa gemer...
Coronavírus é pandemia
Bolsa cai 10% e suspende operações novamente
A queda de dois dígitos é a segunda na semana. Na última segunda-feira (09), o índice despencou 10% e, depois de ser acionado o circuit breaker, voltou a operar e caiu mais 12%


Da redação – O Ibovespa caiu mais de 10% no início da tarde de hoje (11) e a Bolsa de Valores teve de ser suspensa, na chamada operação de circuit breaker (“paralisação de circuito”, em tradução livre), devido à queda do preço do barril de petróleo e ao anúncio feito pela Organização Mundial de Saúde (OMS) de que o coronavírus é, oficialmente, uma pandemia.

A queda de dois dígitos é a segunda na semana. Na última segunda-feira (09), o índice despencou 10% e, depois de ser acionado o circuit breaker, voltou a operar e caiu mais 12%.

Devido à guerra desencadeada pela Arábia Saudita, fantoche dos EUA, especialmente contra a Rússia, o preço do barril do petróleo foi rebaixado em 30%, sendo a maior crise desde a Guerra do Golfo, quando o Iraque – um dos maiores exportadores do mundo – esteve em guerra contra os Estados Unidos e o Kuwait – outro dos maiores exportadores.

Assim, as ações da Petrobras apresentaram uma queda de 9% nesta quarta-feira.

Wall Street também opera em queda, pela quarta semana consecutiva. Às 15h55, a Dow Jones, principal índice da Bolsa de Nova Iorque, apresentava uma queda de 5,6%.

O surto do coronavírus, que, segundo a própria OMS, vai aumentar nas próximas semanas, veio para dar um knockdown no sistema financeiro capitalista, que já estava moribundo há muito tempo devido às suas próprias contradições como regime putrefato e que não encontra saída.

De acordo com os próprios economistas burgueses, uma crise maior que a de 2008 se avizinha, colocando em perigo qualquer vestígio de estabilidade que pode haver na atual fase de degeneração completa do capitalismo e acirrando ainda mais a luta de classes.
https://www.causaoperaria.org.br/bolsa- ... novamente/
Avatar: Bolsocorno, o rei do gado se transformou em boi para se assemelhar ao rebanho bolsonarista. Osmar Enterra na rachadinha da Micheque.

O Chapolin é um herói latino-americano lutando contra as forças imperialistas (Super Sam, Batman, Superman). Ele sempre foi vermelho.

Chaves é sobre a luta de classes. Burguesia (Seu Barriga, Nhonho), Pequeno-burguesia (Dona Florinda, Girafales, Quico) e Classe Operária (Chaves, Seu Madruga, Chiquinha).E você, de que lado está?


''A direita é a escória.''
RUI COSTA PIMENTA

Victor235
Membro
Membro
Mensagens: 38447
Registrado em: 04 Dez 2011, 22:00
Programa CH: Chaves
Time de Futebol: Palmeiras
Curtiu: 3639 vezes
Curtiram: 3083 vezes

Re: Economia

Mensagem por Victor235 » 11 Mar 2020, 23:58

Nem deu tempo do JF ler aquela enorme e já colocou outra? :vamp:
"Se aproveitaram da minha astúcia" - VELOSO, Caetano

Avatar do usuário
Chapolin Comunista
Membro
Membro
Mensagens: 3240
Registrado em: 03 Fev 2009, 00:22
Programa CH: Chapolin
Time de Futebol: Grêmio
Localização: Viamão - RS
Curtiu: 152 vezes
Curtiram: 45 vezes

Re: Economia

Mensagem por Chapolin Comunista » 12 Mar 2020, 00:06

Avatar: Bolsocorno, o rei do gado se transformou em boi para se assemelhar ao rebanho bolsonarista. Osmar Enterra na rachadinha da Micheque.

O Chapolin é um herói latino-americano lutando contra as forças imperialistas (Super Sam, Batman, Superman). Ele sempre foi vermelho.

Chaves é sobre a luta de classes. Burguesia (Seu Barriga, Nhonho), Pequeno-burguesia (Dona Florinda, Girafales, Quico) e Classe Operária (Chaves, Seu Madruga, Chiquinha).E você, de que lado está?


''A direita é a escória.''
RUI COSTA PIMENTA

Avatar do usuário
Bazzo
Membro
Membro
Mensagens: 2575
Registrado em: 08 Nov 2017, 11:08
Programa CH: Chapolin
Localização: Rio de Janeiro (RJ)
Curtiu: 195 vezes
Curtiram: 304 vezes

Re: Economia

Mensagem por Bazzo » 12 Mar 2020, 10:02

Bolsonaro está realmente quebrando vários recordes.
Dólar bate R$ 5 pela 1ª vez na história
Após salto na abertura, moeda dos EUA desacelera com anúncio de novo leilão do Banco Central. No ano, avanço chega a 23%.
O dólar opera em forte disparada nesta quinta-feira (12), batendo R$ 5 pela 1ª vez na história, em mais um dia de turbulência nos mercados, após a Organização Mundial de Saúde (OMS) ter classificado o surto como uma pandemia e depois que o presidente norte-americano, Donald Trump, proibiu viagens da Europa para os Estados Unidos por 30 dias.

Às 9h51, a moeda norte-americana subia 4,86%, a R$ 4,9510. Na abertura, chegou a saltar mais de 6%. Na máxima até o momento chegou a R$ 5,0277 – nova máxima nominal (sem considerar a inflação) já registrada no país. Veja mais cotações.

Com o salto desta quinta, o avanço no ano passa de 23%.

A disparada acontece mesmo após uma atuação mais forte do Banco Central no mercado de câmbio com uma oferta de até US$ 2,5 bilhões em moeda à vista, cancelando o anúncio inicial de venda de até 1,5 bilhão feito no dia anterior.

A intensidade de alta do dólar nesta quinta, entretanto, diminuiu após o BC anunciar um leilão adicional de dólar em moeda à vista de até US$ 1,25 bilhão.

Na véspera, o dólar encerrou o dia a R$ 4,7215, em alta de 1,65%. Na semana, o dólar acumulou até o leilão de quarta-feira alta de 1,88%. Na parcial do mês, o avanço é de 5,37%. Em 2020, a alta chegou a 17,75%.

Pesava também no mercado de câmbio nesta quinta a derrota sofrida pelo governo no final da tarde de quarta-feira, após o Congresso Nacional derrubar o veto presidencial a projeto que amplia o acesso ao Benefício de Prestação Continuada (BPC), com impacto estimado em cerca de R$ 20 bilhões já no primeiro ano.

Em razão do impacto orçamentário da medida, o mercado enfrenta agora outro vetor de risco, do lado fiscal brasileiro, o que aumenta as incertezas sobre as relações entre Executivo e Legislativo, e sobre o ritmo de recuperação da economia brasileira.

Cena Externa

Do lado externo, os mercados globais reagiam nesta quinta à decisão do presidente americano, Donald Trump, que suspendeu por 30 dias viagens de estrangeiros procedentes de Europa aos Estados Unidos, numa tentativa de travar a rápida propagação do coronavírus.

Trump anunciou outras medidas para sustentar as empresas norte-americanas e promover o crescimento, mas alguns investidores não se mostraram convencidos de que a economia global pode se recuperar rapidamente conforme crescem as preocupações de que o número de infecções pode aumentar rapidamente em todo o mundo.

Na Europa, as principais bolsas tinham queda ao redor de 6%. Já os preços do petróleo subiam mais de 5% e acumulavam queda de cerca de 50% desde máximas tocadas em janeiro.

BC eleva valor de leilão de dólar à vista

O Banco Central (BC) realiza nesta quinta um novo leilão de dólares em moeda à vista. O lote ofertado será de até US$ 2,5 bilhão e não mais de US$ 1,5 bilhão como anunciado na véspera.

O BC voltou a oferecer recursos das reservas internacionais nesta semana diante da disparada da volatilidade e da tensão no mercado de câmbio, seguindo deterioração nos mercados internacionais.

Apenas nesta semana, a autoridade monetária já vendeu US$ 5,465 bilhões em dólar à vista, sendo US$ 2 bilhões na terça-feira e US$ 3,465 bilhões de dólares na segunda-feira -- este o maior volume a ser liquidado em um único dia desde pelo menos o começo de maio de 2009, destaca a Reuters.

Antes da atual rodada de leilões, desde 20 de dezembro do ano passado o BC não realizava esse tipo de operação -- retomada em agosto de 2019 depois de uma década sem ser utilizada.

Os atuais leilões de dólar das reservas têm ocorrido de forma alternada a ofertas de swap cambial. Nesta quarta, o BC vendeu todo o lote de 1 bilhão de dólares disponibilizado em swaps tradicionais --derivativo cuja colocação equivale a uma venda de dólar no mercado futuro de câmbio.

Neste ano, o BC já vendeu o equivalente a 10,50 bilhões de dólares em swaps cambiais --todo esse montante em colocações líquidas, ou seja, na forma de dinheiro novo.
https://g1.globo.com/economia/noticia/2 ... olar.ghtml
Imagem

Avatar do usuário
E.R
Membro
Membro
Mensagens: 88200
Registrado em: 01 Fev 2009, 19:39
Programa CH: Chaves
Time de Futebol: Flamengo
Localização: Rio de Janeiro (RJ)
Curtiu: 5436 vezes
Curtiram: 1948 vezes

Re: Economia

Mensagem por E.R » 12 Mar 2020, 10:50

Imagem
Imagem

Responder