Página 7 de 73

Re: Debates sobre política internacional

Enviado: 30 Jul 2010, 14:38
por Nabucodonossor
Q coisa não? Evo esbravejou quando Serra disse q ele era conivente com as drogas, agora descobre-se q o lider espiritual dele é traficante. O Lula já se manifestou defendendo o kra?

Re: Debates sobre política internacional

Enviado: 02 Ago 2010, 21:43
por E.R
http://www.estadao.com.br/noticias/inte ... 9494,0.htm

. O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou nesta segunda-feira que a guerra do Iraque se aproxima do final "como prometido e no prazo", comemorando o que ele chamou de um sucesso de seu governo, que ocorreria em meio ao persistente instabilidade e incerteza no Iraque.

Obama citou o progresso para cumprir o prazo final de retirar todas as tropas de combate do Iraque até o final de agosto.

Numa lembrança da situação muito instável no Iraque, ataques a bombas e disparos de armas de fogo mataram 12 pessoas nesta segunda-feira.

"A dura verdade é que nós não vimos o final do sacrifício norte-americano no Iraque", disse Obama aos veteranos, em discurso na convenção nacional dos Veteranos Americanos, que reúne soldados que foram mutilados na guerra. "Não se enganem : nosso comprometimento com o Iraque está mudando, passando de um esforço militar liderado por nossas tropas para um esforço civil conduzido por nossos diplomatas", afirmou o mandatário.

O anúncio de Obama vem à tona em um momento no qual a situação no Iraque parece voltar a se deteriorar. O governo norte-americano vem prometendo há dois anos um fim responsável para a guerra no Iraque, atualmente em seu sétimo ano. No entanto, julho foi o mês com mais mortes relacionadas ao conflito em mais de dois anos, segundo números oficiais divulgados pelo governo iraquiano no fim de semana. Ao mesmo tempo, o país árabe encontra-se sem um governo efetivo desde as eleições gerais de março, que terminaram sem um vencedor claro. As diferentes facções políticas do país ainda não conseguiram um acordo para a formação de uma coalizão.

Os EUA manterão uma força de 50 mil soldados no Iraque, a qual deverá ter como missão o treinamento das tropas iraquianas. Sob um acordo negociado em 2008 com o governo iraquiano, todas as tropas dos EUA deverão deixar o Iraque até o final de 2011.

Há cerca de 65 mil militares norte-americanos atualmente no Iraque.

Quando Obama assumiu a presidência, em janeiro de 2009, os EUA tinham 140 mil soldados no Iraque. Em 2007, durante a presidência de George W. Bush, os EUA chegaram a ter 167 mil soldados no Iraque.


Re: Debates sobre política internacional

Enviado: 02 Ago 2010, 21:51
por Ecco - Kiko Botones is my life
Po, até que enfim vai acabar isso aí.

Re: Debates sobre política internacional

Enviado: 03 Ago 2010, 14:46
por Nabucodonossor
Interessante. Os EUA invadiram o Iraque, derrubaram um governo tirano mas q dava estabilidade ao país para se apropriar de suas reservas de petróleo e agora vão bater em retirada deixando um fantoche americano no governo. Gosto de Obama, e acho q ele não teria feito essa guerra, mas já q ela começou os americanos têm a responsabilidade de permanecer até quando for necessário para pacificar o país, o q creio q não foi feito até agora. O risco de uma guerra civil após a retirada das tropas é enorme.

Re: Debates sobre política internacional

Enviado: 03 Ago 2010, 20:58
por Aolynthon
Imagem

G1

Imagem

O ex-presidente da Câmara dos Deputados do Haiti disse que o cantor Wyclef Jean deve anunciar sua candidatura à Presidência do país que continua a luta para se recuperar do terremoto de 12 de janeiro.

Pierre Eric Jean-Jacques disse à agência de notícias Associated Press que o artista de hip hop será candidato como parte de sua coligação na eleição de novembro.

A porta-voz do cantor, Cindy Tanenbaum, não quis confirmar a informação. Ela disse que o cantor faria um anúncio na próxima quinta-feira (5), mas se recusou a dizer o que seria.

Rumores rodaram por meses que Jean seria candidato. O cantor tem tido sempre o cuidado de não excluir a ideia de se candidatar para presidente e gravou uma canção chamada "Se eu fosse presidente."

Jean tem 37 anos. Ele nasceu na periferia de Porto Príncipe, mas cresceu no Brooklyn, em Nova York.

Re: Debates sobre política internacional

Enviado: 09 Ago 2010, 10:08
por Nabucodonossor
Talibã executa em público afegã acusada de adultério

http://noticias.terra.com.br/mundo/noti ... terio.html

Insurgentes do Talibã chicotearam em público e executaram uma mulher afegã por suposto adultério, disse uma autoridade policial nesta segunda-feira.

A mulher, uma viúva de 48 anos, recebeu dezenas de chibatadas antes de ser morta a tiros no domingo, na remota localidade de Qades, disse Abdul Jabar, uma alta autoridade provincial. O lugar é um distrito sob controle de militantes do Talibã na província de Badghis, noroeste do Afeganistão.

"Foi em público. Apesar de ninguém ter reclamado, o governo tomará medidas sobre o incidente", afirmou Jabar à Reuters por telefone, falando de Badghis. O homem não identificado que teria tido o suposto romance com a mulher escapou, disse ele.

Quando estava no poder, entre 1996 e 2001, o Talibã promoveu apedrejamentos e chicoteamentos em público de afegãos descobertos tendo sexo fora do casamento. No entanto, Qari Mohammad Yousuf, o principal porta-voz do Talibã, disse por telefone, de local não revelado, que o grupo não estava envolvido no ocorrido em Qades.

"Este é um trabalho errado e nós o rejeitamos, Quem quer que tenha feito isso não é um membro do Talibã e está tentando nos difamar."

Re: Debates sobre política internacional

Enviado: 30 Set 2010, 14:50
por @EA
Tentativa de golpe militar no Equador
Clima fica tenso no Equador após protesto de policiais e militares
O Equador enfrenta um clima tenso nesta quinta-feira (30) por conta de protestos de policiais e militares em três cidades do país. Há relatos de comércio fechado e saques na capital, Quito, e em Guayaquil.

Militares tomaram as pistas do aeroporto de Quito, que estava fechado. O prédio do Congresso também foi tomado, segundo Julia Ortega, porta-voz do Legislativo.

O presidente Rafael Correa afirmou que não vai recuar do projeto que prevê cortar benefícios aos militares, e o comando militar manifestou lealdade a ele. Correa teve de usar máscara de gás para deixar um quartel, após discursar para tropas que protestavam, e foi hospitalizado logo a seguir.
Discurso de Correa
Em clima tenso, o presidente Correa discursou durante a manhã em um quartel do Exército em Quito e disse que não cederia.

"Não darei nenhum passo atrás. Se quiserem, tomem os quarteis, se quiserem deixar a cidadania indefesa e se quiserem trair sua missão de policiais", afirmou Correa em uma acalorado discurso ante dezenas de militares que tomaram o principal regimento de Quito.

"Se quiserem matar o presidente, aqui estou, matem-no se tiverem vontade, matem-no se tiverem poder, matem-no se tiverem coragem ao invés de fiar covardemente escondido na multidão", disse. "Se quiserem destruir a pátria, aí está! Mas o presidente não dará nem um passo atrás."

Correa teve de usar máscara de gás para deixar o lugar, segundo relatos de testemunhas.

Depois de sair do regimento, Correa tirou a máscara e foi levado ao vizinho hospital da polícia, onde entrou de maca, mostrando sinais de asfixia por gás lacrimogênio.

Dois militares também ficaram feridos, segundo o hospital militar.

Comando promete lealdade
O principal comandante militar do Equador, general Ernesto González, afirmou que os soldados seguem leais a Correa.

"Nós estamos sob o estado de direito, estamos subordinados à máxima autoridade que é o senhor presidente da República", disse em entrevista na cidade de Cuenca.

Ele disse que iria tomar as medidas necessárias para restabelecer a ordem.

Chanceler
O ministro de Relações Exteriores, Ricardo Patiño, disse que não há protestos populares, mas que os atos da polícia são "inaceitáveis e intoleráveis".

"Esta não é uma insurreição popular, é uma insurreição de alguns grupos da polícia que estão mal informados porque, caso contrário, não fariam isso", acrescentou.

Patiño denunciou ainda que, por trás das mobilizações militares e policiais, podem haver setores golpistas que buscam desestabilizar o país.

O ministro coordenador de Segurança Interna e Externa, Miguel Carvajar, disse que o país está em situação "delicada" e enfrentando um processo de "desestabilização do governo e da democracia".

O presidente do Banco Central do Equador, Diego Borja, pediu calma, dizendo à população que não saque seu dinheiro dos bancos.

"O pior que poderia ocorrer neste momento é entrar em pânico, sacar dinheiro, colocar-se em risco porque saem do banco e podem ser assaltados", disse Borja. Com o protesto de policiais, foram registrados alguns roubos a bancos nas últimas horas.

Procurada pelo G1, a Embaixada do Equador no Brasil afirmou que não iria falar sobre o assunto até que haja uma declaração oficial do governo equatoriano.

Aeroporto
Cerca de 500 policiais e militares teriam tomado a pista do aeroporto, segundo a rádio pública do Equador.

"Cerca de 150 efetivos da Força Aérea Equatoriana tomaram a pista do aeroporto Marechal Sucre e também a rua na entrada", afirmou à rádio Quito o porta-voz da empresa administradora Quiport, Luis Galárraga. Ele acrescentou que o pessoal está formado em ambas as pistas e que, por motivos de segurança, é impossível dar prosseguimento às operações.

Impasse
Os protestos militares ocorrem ao mesmo tempo que o país enfrenta um impasse entre Correa e congressistas do seu próprio partido.

Mais de metade dos 124 parlamentares são oficialmente do bloco de Correa, mas o presidente teria entrado em atrito com eles porque eles não teriam concordado com propostas de austeridade e para reduzir a burocracia estatal - e nas quais estão incluídos os cortes nos benefícios para policiais e militares.

Correa estaria considerando dissolver o Parlamento, para governar por decreto até a convocação de novas eleições, segundo a ministra Doris Solis.

A dissolução da Assembleia é uma possibilidade prevista na Constituição aprovada em 2008, que permite ao presidente adotar a medida e convocar eleições imediatas para a escolha de novas autoridades legislativas e um novo presidente. Ela precisaria ser aprovada pelo tribunal constitucional.

Solís acrescentou que a decisão final dependerá de uma reunião convocada pela Assembleia Nacional para reconsiderar a votação sobre reformas legais que visam reduzir as dimensões da máquina pública.

"Estávamos avaliando. Ainda não foi tomada uma decisão. Nossa bancada tem a obrigação de ser coerente com o projeto. Desta maneira não é possível fazer política, e menos ainda um projeto de transformações", disse a ministra, depois de uma reunião com o presidente, parlamentares e funcionários do governo.

O país, de 14 milhões de habitantes, tem uma longa história de instabilidade política.

OEA
A OEA (Organização dos Estados Americanos) convocou uma reunião de emergência para analisar o caso, nesta tarde em Washington.
fonte: G1

Re: Debates sobre política internacional

Enviado: 30 Set 2010, 16:16
por Antonio Felipe
Tá feia a coisa no Equador. O governo declarou estado de exceção e já se comenta em dissolver o Congresso.

Re: Debates sobre política internacional

Enviado: 30 Set 2010, 17:10
por Jader
Que coisa heim! :huh:
Chápulo, apareça aqui e dê seu parecer :joinha:

Re: Debates sobre política internacional

Enviado: 30 Set 2010, 18:15
por Chápulo
Tá horrível a ciosa aqui na cidade. quando eu saí do hospital, 9:30 da manhã, não podia chegar direito para a minha casa. O taxi que eu achei teve que me deixar perto daí.
Depois eu vi na televisão que o povo saqueava os locais comerciais, que ia com as refrigeradoras, televisores, lavadoras nas costas... Olhem só como ficou a bagunça.
Imagem
Imagem
Depois o Correa faz essas declarações: mátenme, e tudo isso daí
E agora tá cheirando a aro de roda queimada...

Re: Debates sobre política internacional

Enviado: 30 Set 2010, 19:38
por Samuel Boitar
Putz, que tenso!

Espero que isso aí acabe logo. Sorte ae Chápulo!

Re: Debates sobre política internacional

Enviado: 30 Set 2010, 19:43
por Chápulo
Desde as 2 da tarde daqui todos os canais de TV nacionais e as rádios estão enlaçados com a sinal de Ecuador TV, canal estatal, de um jeito ininterrumpido e indefinido.

Re: Debates sobre política internacional

Enviado: 30 Set 2010, 20:13
por Jader
Mas porque o povo saqueava tudo? Tá sem polícia trabalhando, é isso?

Re: Debates sobre política internacional

Enviado: 30 Set 2010, 23:54
por Chápulo
Sim, tá sem polícia.

Há pouco teve muito balaço e polícias caidos no Hospital Militar, onde estava o Correa detenido. Nesse momento está falando um discursinho cheio de demagógia em Carondelet.

Re: Debates sobre política internacional

Enviado: 01 Out 2010, 00:17
por Scopel
Jader escreveu:O Lula tem péssimas amizades, logo estará com ligações com os norte-coreanos :huh:
O Brasil é aliando dos Estados Unidos da América. Sem mais.