Fórum Portal Vídeos Guia de Episódios Sobre



Todos os horários são GMT - 3 horas


Portal Chespirito



Criar novo tópico Responder  [ 873 mensagens ]  Ir para página Anterior  1 ... 55, 56, 57, 58, 59
  Exibir página para impressão

Re: Mundo
Autor Mensagem
MensagemEnviado: 11 Set 2018, 21:59 
Offline
Avatar do usuário
Membro

Registrado em: 04 Dez 2011, 22:00
Mensagens: 27456
Curtiu: 2450 vezes
Foi curtido: 1545 vezes
Programa CH: Chaves
Time de Futebol: Palmeiras
Extrema-direita avança e sociais-democratas não formam maioria na Suécia
O destaque da eleição foi o Partido dos Democratas Suecos, força de extrema-direita, que levou 17,6% dos votos e ficou em 3º lugar. O resultado foi inédito para a sigla que defende posições “anti-imigrantes” e “anti-Europa”, consideradas xenófobas.
https://www.poder360.com.br/internacion ... na-suecia/


Voltar ao topo
 Perfil  
 

Re: Mundo
MensagemEnviado: 10 Out 2018, 23:59 
Offline
Avatar do usuário
Membro

Registrado em: 04 Dez 2011, 22:00
Mensagens: 27456
Curtiu: 2450 vezes
Foi curtido: 1545 vezes
Programa CH: Chaves
Time de Futebol: Palmeiras
Imagem
Presidente chileno e ministro italiano manifestam apoio a Bolsonaro
O ex-candidato à Presidência do Chile José Antonio Kast, que concorreu ao cargo no ano passado, também manifestou apoio e deverá fazer uma tour pelo Brasil em defesa de Bolsonaro, segundo o jornal La Tercera. Kast é conhecido por sua defesa da ditadura do general Augusto Pinochet (1973-1990).
https://veja.abril.com.br/politica/pres ... bolsonaro/


Voltar ao topo
 Perfil  
 

Re: Mundo
MensagemEnviado: 13 Out 2018, 23:01 
Offline
Avatar do usuário
Membro

Registrado em: 01 Fev 2009, 19:39
Mensagens: 71972
Localização: Rio de Janeiro (RJ)
Curtiu: 4382 vezes
Foi curtido: 1073 vezes
Programa CH: Chaves
Time de Futebol: Flamengo
https://www1.folha.uol.com.br/mundo/2018/10/exodo-da-venezuela-so-cessara-com-fim-da-ditadura-diz-oposicionista.shtml

Ao comentar à Folha o programa de repatriação lançado pelo mandatário venezuelano, Nicolás Maduro, o ex-prefeito opositor David Smolansky usou dados :

"Para cada cem venezuelanos que o regime manda de volta, são 5.000 que saem todos os dias. Não tem comparação. Enquanto continuar a ditadura, o êxodo vai continuar."

Fora de seu país desde setembro de 2017, quando chegou ao Brasil após ter sua prisão decretada na Venezuela por não impedir manifestações em El Hatillo, um dos municípios de Caracas, David Smolansky foi indicado pela OEA (Organização dos Estados Americanos) para uma comissão sobre a crise migratória envolvendo seus compatriotas.

O trabalho busca mapear a situação dos milhares de emigrantes que estão em países das Américas, a maioria dos cerca de 1,9 milhão de venezuelanos que deixaram seu país, segundo a ONU, desde 2015, quando começou a se aprofundar a escassez de comida e de remédios.

O lançamento do grupo foi feito com viagens em agosto a dois pontos da fronteira: a cidade colombiana de Cúcuta, principal porta de saída terrestre da Venezuela, e o estado brasileiro de Roraima.

Ele considera crítica a situação na fronteira com a Colômbia e cita o caso dos refeitórios da Igreja Católica, em que o número de refeições fornecidas passou de 2.000 em abril para 10 mil em agosto.

A visita ao Brasil ocorreu dias depois da expulsão violenta de 1.200 venezuelanos feita pela população de Pacaraima, que também destruiu os espaços que os abrigavam.

"Nenhum venezuelano está indo embora porque quer. Os milhares de venezuelanos que hoje estão deslocados são pela falta de comida, pela falta de remédios, pela falta de segurança, pelo colapso da economia, e pela perseguição política", afirmou.

No tocante ao combate à xenofobia, ele pede a ajuda dos governos e da sociedade civil dos países receptores : "Apesar de as manifestações xenofóbicas serem minoritárias e isoladas, não podemos deixar que esse fenômeno cresça."

Em resposta, o regime, que nega a existência da crise humanitária e afirma que os venezuelanos deixam o país por vontade própria, lançou seu programa de repatriação.

Segundo a Chancelaria, 7.907 pessoas haviam voltado à Venezuela com a ajuda das autoridades, sendo mais de 6.000 vindas do Brasil. Isso representa 0,4% do total de pessoas que saiu do país.

Assim como relatórios da ONU, o ex-prefeito venezuelano se refere à crise migratória como uma das mais graves da história da América Latina e a mais volumosa neste momento no Hemisfério Ocidental.

Por outro lado, ele discorda do secretário-geral da OEA, Luis Almagro, em relação à solução para a crise em seu país. Smolansky estava mesma comitiva que foi a Cúcuta quando o uruguaio disse avaliar até uma intervenção militar para tirar Maduro do poder.

"Estou convencido de que, se aumenta a pressão da comunidade internacional contra a ditadura, podendo retomar os protestos nas ruas e, além disso, há um comportamento dos dirigentes de baixa e média patente das Forças Armadas que querem recuperar a democracia", disse. "Se se juntam essas três coisas, acho que os dias de Maduro no poder estariam contados."

_________________
Imagem
Imagem


Voltar ao topo
 Perfil  
 

Exibir mensagens anteriores:  Ordenar por  
Criar novo tópico Responder  [ 873 mensagens ]  Ir para página Anterior  1 ... 55, 56, 57, 58, 59

Todos os horários são GMT - 3 horas


Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 1 visitante


Enviar mensagens: Proibido
Responder mensagens: Proibido
Editar mensagens: Proibido
Excluir mensagens: Proibido

Procurar por:
Ir para: